Polícia Civil prende condenado da Justiça com 16 tabletes de maconha em...
Supermoveis



Polícia Civil prende condenado da Justiça com 16 tabletes de maconha em MT

Fonte: Da redação
SHARE

Dezesseis tabletes de maconha foram apreendidos pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande, em investigações de roubos e furtos, na segunda-feira (21.05). A droga estava na posse de um homem condenado a mais de 18 anos de prisão e com 11 passagens criminais.

O suspeito, Jhony da Costa Melo, 29 anos, conhecido por “Jhony Morte), foi preso no bairro Jardim Tropical, em Cuiabá. Ele foi autuado por tráfico de drogas cometido nas imediações de estabelecimento de ensino, falsificação de documento público, uso de documento falso e corrupção de menor.

Os investigadores apuravam roubos a pedestres em Várzea Grande, praticado por uma homem em um motocicleta preta. Durante checagem de denúncia referente ao suspeito, os policiais chegaram até uma casa localizada em frente um centro de ensino, no bairro Jardim Tropical, onde passaram a monitorar.

Os policiais checavam informação do local, supostamente usado para guardar objetos roubados e furtados dos diversos crimes apurados. Segundo a investigação, o suspeito agia tanto em Cuiabá quanto em Várzea Grande, revezando nas cidades para dificultar sua identificação.

Depois de algumas horas de vigilância, os investigadores observaram quando o suspeito, na motocicleta, entrou na residência, acompanhado de um adolescente. Foi feita abordagem aos suspeitos que apresentaram, ambos, documentos de identidade falsos.

Dentro da casa foram encontrados 16 tabletes de maconha, acondicionados em uma mala e vários produtos com suspeita de serem roubados ou furtados.

O suspeito Jhony tem onze registros criminais pela prática de roubos, tráfico de drogas, receptação, posse irregular de arma de fogo, homicídio consumado, tentativa de homicídio e organização criminosa. Ele tem quatro condenações por roubo e homicídio, que totalizam 18 anos de cadeia.

O suspeito foi posto em liberdade condicional em outubro de 2017, mediante uso de tornozeleira eletrônica, a qual violou o dispositivo para continuar cometendo crimes. Ele estava com mandado de prisão em aberto. Com a nova prisão, o suspeito retornou ao  Sistema Penitenciário, informou a delegada Elaine Fernandes.