Preso em Primavera padrasto que “incorporava” espírito, estuprava enteada de 13 anos...
Fullbanner1

Fullbanner2


Preso em Primavera padrasto que “incorporava” espírito, estuprava enteada de 13 anos e dizia que era para “purificar” a menina

Fonte:
SHARE

VILMAR KAIZER

Policiais civis de Primavera do Leste, tendo à frente das investigações o delegado Fábio Oliveira, prenderam no início da noite desta segunda-feira, 08, um homem, J.A; 55 anos, suspeito por cometer os crimes de estupro de vulnerável (contra uma adolescente de 13 anos), fraude sexual (contra uma adolescente de 15 anos) e coação em decurso de processo (ameaça contra vítimas e testemunhas).

As pessoas envolvidas são as duas enteadas dele (crimes sexuais e ameaças), além da mulher, a quem também ameaçou de morte se contasse a alguém o que estava acontecendo.

Toda a investigação, pedido de prisão preventiva e autorização judicial para que isso acontecesse ocorreu em menos de doze horas após o processo ter sido iniciado, como explicou o delegado Fábio, a partir de uma denúncia anônima recebida via telefone 197. “

Recebi a denúncia ainda no sábado, mas em virtude de folga e ser fim de semana, logo no início da manhã de segunda-feira começamos os trabalhos e pudemos ver o resultado muito significativo a partir dos trabalhos dos policiais, do Ministério Público e do Judiciário que acatou o pedido de prisão”, relatou Fábio Oliveira.

OS CRIMES

A família reside em uma propriedade próxima ao distrito de Novo Poxoréu e tanto o homem quanto a mulher trabalhavam como caseiros. “Ao iniciar as investigações fomos até os proprietários da fazenda verificar se sabiam de algo, mas apenas apuramos que a mãe teria viajado algum tempo atrás e deixado a menina sozinha com o padastro por pelo menos uma semana. A partir daí fomos conversar com a própria família”, explicou o delegado

O suspeito, apesar de evangélico se dizia “curandor” e incorporador de espíritos, o que também chamou a atenção da polícia. “Isso porque conseguimos apurar que durante estas incorporações pelo menos uma das meninas ficava sem roupa”, explicou.

REVELAÇÃO

Segundo o delegado, no decorrer da conversa todos se mostraram muito nervosos, tanto o homem quanto a mulher, mãe das meninas, o que mostrava sinais evidentes de algo estava acontecendo. “Então ele acabou nos confessando que ao receber os espíritos realmente perdia a noção de quem era e estes espíritos sim, praticavam sexo, um deles com a menina mais nova”, contou Fábio.

E em seguida a mãe também confessou que sabia do que estava ocorrendo, mas que acreditava nas “incorporações do marido”, as quais faziam apenas o bem. A polícia apurou ainda que seriam dois os espíritos, o “Escuridão” e o “Escuridão da Mata”, este último o que levava o homem a praticar sexo com a menina mais nova. E o relato ainda tomou maiores proporções ao ouvirem a menina.

CERIMÔNIA PARA PREVENIR DOENÇAS

“Ele nos contou que o padrasto sempre a assediava, mas foi aos doze anos que acabou cedendo e praticando sexo a primeira vez. Ele disse e a mãe confirmou, que, sendo ela uma menina sadia, o ritual iria impedir que ela ficasse doente ou ainda outros males que pudessem vir a acometê-la”, completou o policial.

E para completar a adolescente disse que “está apaixonada pelo espírito”. Ou seja, não quer mais o padrasto, mas a incorporação sim. “Independentemente de qualquer situação os crimes foram cometidos, sendo que a coação aconteceu depois, para impedir que a família contasse qualquer coisa que tivesse acontecido. Tivemos um trabalho que merece elogios principalmente aos nossos policiais (com ajuda de um investigador de Poxoréu), ao Ministério Público e ao Poder Judiciário que acatou as provas e ainda quando o suspeito era interrogado decretou a prisão preventiva”, finalizou o delegado.

 

Montreal