Polícia acha vídeo de sexo entre crianças e animal em celular e...
Supermoveis



Polícia acha vídeo de sexo entre crianças e animal em celular e homem é preso por pedofilia

Fonte:
SHARE
Homem, de 42 anos, era investigado por pedofilia e foi preso em Cuiabá (Foto: TV Centro América)

Um homem, de 42 anos, investigado por crime de pedofilia, foi preso durante cumprimento de mandados de busca e apreensão nessa sexta-feira (9), em Cuiabá. No celular dele a Polícia Civil encontrou um vídeo contendo cenas de duas crianças, do sexo masculino, praticando sexo com um equino.

A prisão foi feita pela Gerência de Combate aos Crimes de Alta Tecnologia (Gecat) e pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), de Cuiabá.

O suspeito contou aos policiais que apenas havia feito download do vídeo, mas o fato de baixar os arquivos e armazená-los já é considerado crime.

Equipamentos eletrônicos apreendidos serão periciados, segundo a polícia (Foto: Polícia Civil de MT)

Os materiais foram encontrados em um dos dois imóveis que pertencem ao suspeito, localizados em dois bairros de Cuiabá. No local, os policiais apreenderam dois notebooks, cinco pendrives e cinco smartfones. Os aparelhos serão enviados para perícia.

A investigação iniciou no ano passado com comunicação oficial da Secretaria Nacional de Justiça (Senasp), que em outubro de 2017, deflagrou a operação ‘Luz na Infância’. Na ocasião, a Gecat ainda não tinha obtido autorização judicial para proceder às buscas. A operação foi desencadeada em todo o Brasil para prender pedófilos na internet.

O delegado da Gecat, Eduardo Augusto Botelho de Paula, disse que a perícia será feita em todo o material para identificar outras imagens, uma vez que muitos dos arquivos encontrados nos aparelhos estão com senha.

Os dois mandados de busca e apreensão foram concedidos pela 14ª Vara Criminal de Cuiabá.

O suspeito, que não teve o nome divulgado, foi autuado em flagrante no artigo 241-B, do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), por adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfico envolvendo criança e adolescente.

Ele teve fiança de R$ 25,7 mil aplicada na delegacia. Caso não seja recolhida, será apresentado em audiência de custódia, à disposição da Justiça.