Poder público propõe em reunião inserir catadores em cooperativas
Supermoveis


Macropel

Poder público propõe em reunião inserir catadores em cooperativas

Fonte: Assessoria
SHARE
Foto: Assessoria

Uma reunião foi realizada na manhã desta sexta-feira (21), no auditório da Paróquia São José Operário, em Rondonópolis, para tratar sobre a Lei 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). A lei determina ações como extinção dos lixões, além da implantação, tratamento do lixo e coleta seletiva nos municípios.

A temática principal da reunião foi tratar sobre a importância dos catadores de recicláveis se organizarem em cooperativas ou associações em detrimento da criação do aterro sanitário.

O encontro contou com a presença do prefeito de Rondonópolis, Zé Carlos do Pátio (SD), do presidente da Câmara Municipal, Rodrigo da Zaeli (PSDB), secretários municipais, promotores públicos, representantes da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMMA) e catadores recicláveis.

O secretário municipal de Meio Ambiente, João Fernando Copetti, explicou que o município tem que cumprir às regras determinadas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos.

“Ela prevê o fechamento desses lixões a céu aberto e a abertura de aterros sanitários nos municípios acima de 100 mil habitantes. No contexto dessa lei, foi previsto que os trabalhadores informais que existem nesses lixões a ‘céu aberto’ fossem organizados em formas de cooperativas ou outros tipos de associações a fim de normatizar, regulamentar a ocupação deles, dando uma maior dignidade à função”, destacou.

O promotor público Marcelo Vacchiano avaliou o encontro de forma positiva e destacou a importância dos trabalhadores se organizarem em cooperativas ou associações. “Com o fechamento do lixão a céu aberto nós precisamos nos organizar junto aos catadores para o poder público fortalecer a atuação deles para depois, eles caminharem com as próprias pernas,” afirmou Vacchiano.

A catadora Flávia Cândido Pereira, que trabalha há mais de 20 anos no lixão, disse que a iniciativa do município trará benefícios aos trabalhadores. “É positivo para nós nos unirmos e ter uma logística melhor, para não vendermos em atravessadores, é uma renda melhor para gente, uma forma mais humana de trabalhar graças ao apoio da Prefeitura e de outros órgãos,” celebrou a trabalhadora.

O prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) informou que o município irá ajudar aos catadores a fortalecer a criação ou inserção deles em cooperativas proporcionando mais dignidade a estes trabalhadores.

“Os catadores trabalham muito e ganham menos de um salário mínimo naquele lixão, é insalubre, vamos organizá-los, vamos dar dignidade, queremos que eles ganhem mais, o município vai ajudar a fortalecer a criação da cooperativa e depois eles vão dar continuidade,” comentou o prefeito.

Montreal