Pesquisador aponta existência de oceano subterrâneo no interior de MT
Adventista

Fullbanner1


Pesquisador aponta existência de oceano subterrâneo no interior de MT

Estudo realizado por pesquisadores estrangeiros se baseou em componentes encontrados em um diamante retirado da região de Juína

Fonte:
SHARE
Ilustrativo

O subsolo da cidade de Juína (750 km de Cuiabá) pode ser um grande reservatório de água, segundo cientistas internacionais. A descoberta feita por pesquisador de Universidade de Alberta (no Canadá), a partir da análise de um diamante encontrado em Juína, comprova a existência de um oceano subterrâneo na região.

De acordo com informações de uma pesquisa realizada pelo cientista e especialista em estudos de diamantes, Graham Pearson, da Universidade de Alberta, no subterrâneo do município de Juína, em Mato Grosso, há um grande reservatório de água.

A descoberta foi divulgada no site da universidade canadense em maio de 2014, mas ganhou atenção novamente após publicação da informação nos últimos dias, pelo site de notícias “Epoch Times”.

A descoberta veio por meio da análise de um diamante, realizada pelo cientista canadense, que comprovaria a hipótese de que a água presente na superfície do planeta Terra teria sua origem no interior do próprio planeta, desbancando a teoria dominante de que ela teria na verdade sido trazida por cometas gelados há milhões de anos.

A pedra foi adquirida por acidente pelos pesquisadores da universidade do Canadá em 2009, quando estavam no município de Juína a procura de um outro mineral. A análise do diamante, que foi encontrado por garimpeiros em um rio raso da região, apontou a existência de um mineral raro que absorve água, o “ringwoodite”, que só havia sido encontrado em rochas de meteoritos.

Em análise mais detalhada, foi confirmada a origem do “ringwoodite” como sendo do manto da Terra, região interior do planeta, localizada a cerca de 410 km e 660 km abaixo da superfície.

A peculiaridade desta descoberta  é que  esta água não existe em qualquer um dos três estados que conhecemos: líquido, sólido ou gasoso. A água foi encontrada em estruturas moleculares de formações rochosas no interior da Terra.

Mapeamento subterrâneo de água mundial

Um estudo conduzido também por pesquisadores canadenses, desta vez da Universidade de Victoria, foi publicado na revista científica “Nature Geoscience”, mapeando toda essa água armazenada no subsolo terrestre. Segundo os resultados das pesquisas, o volume total chega a 23 milhões de km³, mas apenas 6% desse montante seriam próprios para consumo humano.

Da Redação com PN