Percival quer marqueteiro de ouro…
Fullbanner1

Fullbanner2


Percival quer marqueteiro de ouro…

Prefeito quer que profissional pince números favoráveis para criar um discurso positivo, capaz de primeiramente atrair apoio político para depois o eleitoral

3
Fonte:
SHARE
Campanha de Percival em 2016 não deve ter miséria em investimento midiático. Foto - Mayke Toscano/Hipernotícias

Dinheiro parece que não tem sido problema para o atual prefeito Percival Muniz. Depois de um feriado de carnaval regado ao glamour carioca, o barbudo embirrou com o PMDB, PSDB e os outros grandes partidos que sequer querem se reunir e ouvi-lo sobre um provável projeto de reeleição e enviou um representante para São Paulo para fechar, seja em real ou em dólar, com um marqueteiro de renome nacional.

A ideia do prefeito é maquiar os números e direcionar de uma maneira que tenha argumentos para atacar as gestões anteriores as suas, ou seja, a de Zé do Pátio, de 2008 a 2012, e Adílton Sachetti, de 2004 a 2008, empurrando goela abaixo da opinião pública que o seu contestado mandato atual foi melhor do que os dos seus prováveis adversários neste ano.

A missão, por questões óbvias, não vai ser nada fácil, talvez por isso a urgência de trazer alguém capaz de repetir ininterruptamente tal discurso à população, desde agora, no intuito de, ao menos, achar alguma verdade até outubro. No quesito conceito, Percival já identificou que não adianta atacar o pessoal de Pátio e Adílton, como gosta de fazer, até porque sua “capivara” é muito maior. Logo, a dedução é usar números recortados para confundir a provável grande parcela de indecisos que a eleição deste ano deve ter.

Mas por falar em grandes quantias em dinheiro, o prefeito deveria usar o marqueteiro refinado não só para encher de confete suas ações, mas também para montar uma boa explicação sobre o que fez com os R$ 20 milhões que recebeu da ALL, os quase R$ 5 milhões que chegaram da venda do terreno do antigo Aeroporto à Unimed, além dos quase R$ 6 milhões que chegaram da Rota do Oeste, como participação da prefeitura no pedágio e outros encargos.

Montreal