Percival põe má condição de aeroporto municipal nas costas de Taques
Fullbanner1

Fullbanner2


Percival põe má condição de aeroporto municipal nas costas de Taques

Percival tenta se esquivar de problemas da gestão, distribuindo a culpa em Taques e em parlamentares do estado, como já fez em outras ocasiões

Fonte:
SHARE

O prefeito Percival Muniz (PPS) mais uma vez usou a tática do Homer Simpson que entende que se “a culpa é MINHA, eu ponho em quem eu quiser”. Em reunião com vereadores, que cobravam investimentos para evitar uma tragédia aparentemente anunciada no Aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco, já que aeronaves estão constantemente tendo sérios problemas de pouso, o gestor arranjou um único culpado: o governador Pedro Taques.

Não satisfeito em proliferar o discurso aos parlamentares, na reunião, Percival pediu para sua assessoria elaborar um vídeo (fim da matéria), onde foi resgatado falas passadas de Taques, em visitas em Rondonópolis, ressaltando a necessidade de investimentos no setor aeroportuário da maior cidade da região sul. O vídeo insinua que a cidade “cansou de esperar” pela boa vontade do governador e o prefeito decidiu agir para proteger a vida das pessoas, investindo recursos próprios salvadores.

Até se entende o desespero do prefeito em querer se afastar de mais este desgaste, dentre tantos que acumulou nesta gestão, já que se aproxima o pleito eleitoral e ainda pulsa em si a chama da reeleição. Mas dizer que é apenas culpa do governador do estado a precariedade do aeroporto MUNICIPAL, é, no mínimo, ser cínico com a opinião pública.

Na verdade, o prefeito quis se apoiar em um problema da antiga gestão estadual, comandada por Silval Barbosa, onde o Tribunal de Contas do estado (TCE-MT) determinou a paralisação nas obras de reforma e ampliação do aeroporto, pela identificação de um superfaturamento de quase R$ 4 milhões, em um projeto total que envolvia R$ 21 milhões. Tal recurso, foi intermediado pelo PMDB, por meio de Teté Bezerra, e a obra era de responsabilidade da empreiteira Ensercon.

Em todo caso, o prefeito não “queimou” Taques apenas por questão técnica e sim política, pois ele já foi avisado que não terá o apoio do governador em seu projeto de reeleição. Já que é assim, pedra nele.

Montreal