Pedro Taques diz que Prefeitura assumir obras do VLT “é piada”
VendaMais

Pedro Taques diz que Prefeitura assumir obras do VLT “é piada”

Governador aproveitou a visita do ministro das Cidades para pedir aporte da União no modal

0
SHARE
Foto:Marcus Mesquita/MidiaNews

O governador Pedro Taques (PSDB) classificou como “piada” a possibilidade de a Prefeitura de Cuiabá assumir a conclusão das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

A proposta foi feita pelo candidato a prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), em entrevista ao MidiaNews.

Durante visita do ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), a Cuiabá nesta segunda-feira (22), para a entrega de um conjunto habitacional no bairro Osmar Cabral, Taques disse que a obra só é possível de ser concluída com o aporte do Governo Federal.

“O VLT não é um problema só do Estado. Porque não temos R$ 600 milhões no caixa para resolver isso. E o Ministério das Cidades está nos ajudando. Nenhum Estado consegue fazer VLT sozinho. Precisa da União. É impossível o município fazer uma obra desse porte”, disse.

“Imagina o metrô ou o monotrilho de São Paulo: só o município de São Paulo, que tem a terceira maior arrecadação do Brasil, depois da União e do Estado de São Paulo, não dá conta. Imagina Cuiabá com esse orçamento [R$ 2 bilhões]. É uma piada falar que Cuiabá sozinha pode concluir isso”, afirmou.

Taques cobrou do ministro recursos do Governo Federal para conclusão das obras do modal de transporte.

A construção já consumiu R$ 1,06 bilhão do Estado e, de acordo com um relatório elaborado pela consultoria KPMG, encomendado pelo Governo, seriam necessários mais R$ 602 milhões para sua conclusão.

‎Bruno Araújo 220816
Marcus Mesquita/MidiaNews O ministro de Cidades, Bruno Araújo (PSDB)

“O ministro deu notícias de novos investimentos. E, dentre esses investimentos, quero cobrar a questão do VLT porque precisamos terminar essa obra, que será importante para que o cidadão possa, por exemplo, sair daqui do Osmar Cabral e ir até o Atacadão. Precisamos terminar o VLT”, disse.

Bruno Araújo revelou que o presidente interino Michel Temer (PMDB) determinou à Secretaria de Mobilidade Urbana – ligada ao Ministério das Cidades – que faça um estudo para encontrar um meio de concluir a obra.

O ministro disse que nas próximas semanas irá apresentar as possíveis soluções a Taques.

“Vim dizer ao governador Pedro Taques que é uma prioridade do Ministério das Cidades buscar uma equação técnica, segura, real, transparente e eficiente para fazer viabilizar essa obra de mobilidade que é fundamental para o futuro da Capital do Estado”, afirmou.

“O presidente determinou um estudo, que está sendo feito com os técnicos do Governo do Estado e participação da Prefeitura, que nos permita montar qual o desenho de aporte que viabilize a conclusão do empreendimento. Esperamos ter em algumas semanas esse desenho para apresentar ao governador”, disse.

O VLT 

O VLT deveria ter sido entregue em junho de 2014, antes mesmo do início da Copa do Mundo em Cuiabá.

Entretanto, os sucessivos atrasos levaram a gestão anterior do Governo do Estado a fazer um aditivo prevendo o término para 31 de dezembro do mesmo ano.

Porém, as obras foram paralisadas antes mesmo deste prazo.

A atual gestão estadual discute a questão na Justiça, visto que o consórcio construtor cobra pelo menos mais R$ 800 milhões para a finalização da obra.

O consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande, formado pelas empresas Santa Bárbara, CR Almeida, CAF Brasil Indústria e Comércio, Magna Engenharia Ltda. e Astep Engenharia Ltda,  venceu a licitação realizada em junho de 2012, na modalidade do Regime Diferenciado de Contratação (RDC).

Fonte:MidiaNews.

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO