Passeata de enfrentamento ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes...
Fullbanner1



Passeata de enfrentamento ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes reúne mais de 250 pessoas

Fonte: Da redação
SHARE

Nesta sexta-feira (18), a Prefeitura de Rondonópolis, por meio de várias secretarias e parceiros da sociedade civil organizada, realizou uma passeata que teve início na Praça Brasil e passou por várias ruas e avenidas do centro da cidade para alertar a sociedade sobre enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes. Cerca de 250 pessoas participaram.

A caminhada foi em alusão ao Dia Nacional de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, lembrado neste dia 8 de maio. O Departamento de Ações Programáticas do município destaca que o tema deve ser tratado como uma questão de saúde pública e envolver todas as políticas públicas e sociedade civil organizada. A violência sexual é uma violação dos direitos das crianças e dos adolescentes, afetando seu desenvolvimento físico, psicológico e social.

A violência sexual pode ocorrer, conforme explica a Saúde, de duas formas distintas. O abuso sexual é qualquer forma de contato e interação sexual entre um adulto e uma criança e adolescente, podendo ocorrer com ou sem contato físico. Já a exploração se caracteriza pela utilização sexual de crianças e adolescentes com a intenção de lucro, seja financeiro ou de qualquer outra espécie.

Participaram da passeata as secretarias de Saúde, Assistência Social, Educação, Transporte e Trânsito, além da Pastoral da Mulher Marginalizada, Conselho Tutelar I e II, Conselho da Criança e do Adolescente, Vara da Infância e da Adolescência, SEST/Senat, Kobra, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Escola Marechal Dutra.

Agora, na quarta-feira (23), será ainda realizado um pit stop no posto da PRF, a partir das 7h, para orientação da população sobre a importância de se combater o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes.

Para quem tem denúncias para fazer deve entrar em contato pelo disque 100.