Parlamento do Mercosul decide pela permanência da Venezuela no bloco
Adventista



Parlamento do Mercosul decide pela permanência da Venezuela no bloco

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Agência Câmara
SHARE

O Parlamento do Mercosul (Parlasul) decidiu pela permanência dos parlamentares venezuelanos no bloco, em sessão nesta segunda (27), realizada em Montevidéu, no Uruguai. A reunião prossegue nesta terça-feira (28).

A votação contraria decisão diplomática. Em dezembro, chanceleres do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai decidiram suspender a Venezuela do Mercosul após o governo de Nicolás Maduro não cumprir as obrigações assumidas quando se incorporou ao bloco, em 2012. O Parlasul informará ao Conselho do Mercado Comum a sua decisão.

Para o deputado Rocha (PSDB-AC), integrante da Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul, “a participação da Venezuela, mesmo o país atravessando uma grave crise, é importante para o fortalecimento do bloco”.

“A Venezuela tem um papel estratégico no Mercosul e nós não podemos, por circunstâncias de uma crise, afastar o país”, disse. “Também não podemos esquecer que a Venezuela assinou um compromisso democrático, e esse compromisso precisa ser respeitado”, acrescentou Rocha.

Condições para exercer o mandato
O Parlasul pedirá ao governo venezuelano que garanta aos parlamentares do país todas as condições necessárias para o exercício de seu mandato no Parlamento do Mercosul. Segundo o deputado Rocha, o governo venezuelano cassou o passaporte de parlamentares da oposição, que integravam a representação do país no Parlasul.

“Isso certamente complica a situação da Venezuela, já que o presidente tenta fazer uma minoria se transformar, dentro do Parlamento do Mercosul, numa maioria”, afirmou Rocha. Dos 23 deputados venezuelanos no Parlamento do Mercosul, seis seriam ligados ao governo; e o restante, oposicionistas.

Acordo com União Europeia
O parlamentar também informou que, em breve, o Parlasul deverá fechar acordo com a União Europeia. “Esse acordo já está sendo construído há muito tempo. Nós esperávamos que esse acordo já tivesse efetivado”, observou. Segundo ele, no final do ano passado, o Parlasul recebeu visita de delegação de parlamentares da União Europeia. “Um possível acordo será vantajoso tanto para a União Europeia quanto para o Mercosul, em especial para o Brasil, que é o motor do bloco”, destacou.

Carne brasileira
Outro assunto que foi discutido durante a reunião em Montevidéu foram os efeitos da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. “O que aconteceu foi uma espetacularização de um episódio pontual, e isso certamente trouxe prejuízos, mas cumprimos o papel de esclarecer os parlamentares dos demais países do bloco sobre o que de fato aconteceu, tranquilizando o bloco de que isso não tem impacto qualidade da carne exportada”, afirmou Rocha.

“O tema dos frigoríficos é um exemplo da importância de estarmos presentes no Parlasul, pois é o momento de mostrarmos que casos pontuais não podem atingir todo um segmento, prejudicando a economia e retirando tantas vagas de trabalho”, comentou o líder do Solidariedade na Câmara, deputado Aureo (RJ), que também integra a representação Brasileira no Parlamento do Mercosul.

Uber
Aureo disse que também foi debatido no encontro desta segunda-feira a entrada do Uber em grandes cidades da América do Sul e as consequências disso, como a possibilidade de fragilizar milhares de taxistas, a falta de clara regulamentação e o controle sobre esse tipo de transporte.

“Tenho certeza de que as experiências de outros países ajudarão a levar para a Câmara dos Deputados uma solução que não precarize o mercado dos taxistas, mas que também não prejudique o consumidor com a falta de oferta de meios mais baratos e eficientes de mobilidade urbana”, destacou.

O Parlamento do Mercosul foi constituído em 2006 e reúne 139 parlamentares do Brasil, da Argentina, da Venezuela, do Paraguai e do Uruguai. Os membros têm a função de discutir temas de interesse comum da integração regional.