Palmeiras divide artilharia em 2017 e prova força de seu sistema ofensivo
Fullbanner1



Palmeiras divide artilharia em 2017 e prova força de seu sistema ofensivo

Fonte: Felipe Zito e Rodrigo Faber
SHARE

Já imaginou um time com 15 boas peças para o seu sistema ofensivo, mas que apenas quatro ou cinco são utilizados por jogo? O que poderia ser um problema para qualquer técnico no Brasil para administrar tantas opções disponíveis vem sendo a marca do Palmeiras de Eduardo Baptista. E os números provam: 10 meias ou atacantes diferentes foram para as redes nos 24 gols feitos na atual temporada.

> VEJA A TABELA DO PAULISTÃO> VEJA A TABELA DA LIBERTADORES

Depois de definir a virada alviverde sobre o Santos, no último domingo, Willian se isolou na artilharia da equipe na temporada, com três gols. O atacante, aliás, tem sido um talismã nas últimas rodadas. Mas logo atrás estão Dudu, Borja, Keno, Róger Guedes, Raphael Veiga, Michel Bastos e Tchê Tchê, com dois gols cada, mesma marca do lateral-direito Jean e do agora gremista Barrios. 

Mina, Guerra e Vitinho, com um gol, completam a lista de artilheiros do Palmeiras. O técnico Eduardo Baptista enaltece o elenco e promete dar chance a todos, principalmente nas últimas rodadas do Paulistão.

– Ter elenco para brigar por tudo não te garante ganhar tudo. Precisa de elenco trabalhando. Vim da Ponte e perguntavam como lidaria com elenco, e lido com todos recebendo oportunidade. Vamos dar oportunidade para todos – comentou Eduardo Baptista.

Da linha ofensiva palmeirense, apenas Hyoran (fora da lista do Paulistão), Rafael Marques, Erik (não disputaram nenhum jogo oficial no ano) e Alecsandro ainda não balançaram as redes em 2017. Antes titular absoluto, Moisés, que participou de duas partidas na temporada, passou por uma cirurgia no joelho e só volta ao time no segundo semestre.

Com os gols bem divididos, o Verdão tem se aproveitado do poder do seu banco de reservas. Na Vila Belmiro, por exemplo, Róger Guedes entrou na vaga de Keno e participou diretamente da virada palmeirense. O atacante deu duas assistências e foi decisivo na vitória no clássico.

– A gente sabe que o Palmeiras no Brasil, querendo ou não, é o elenco mais forte, na minha opinião. Tem praticamente dois times e meio no elenco, então quem entra tem de entrar para mudar o jogo. Pude dar duas assistências para os gols (contra o Santos). Lógico que todo mundo quer jogar de titular, mas é uma briga sadia no dia a dia – disse Róger Guedes.

Com Mina, Guerra, Dudu e Borja ausentes por causa da rodada dupla das Eliminatórias para a Copa de 2018, além de Jean parado por causa de uma fissura óssea no pé direito, Eduardo Baptista será obrigado a mexer na estrutura do sistema ofensivo palmeirense nas partidas contra Mirassol, na próxima quarta-feira, e Grêmio Osasco Audax, no sábado. Mais uma chance para o treinador rodar o elenco e ampliar a lista de goleadores da equipe. Quem vai marcar?