Padrasto preso por Esfaquear Dois enteados, mandou áudios para a Mãe das...
Supermoveis

Fullbanner2


Padrasto preso por Esfaquear Dois enteados, mandou áudios para a Mãe das Vítimas ‘AMEI MATAR’

Fonte: Bruno Pinheiro
SHARE
PADRASTO PRESO POR ESFAQUEAR 2 ENTEADOS Foto: Internet

J.A.D.S. enviou várias mensagens de áudio para a mulher, que estava em Cuiabá. Ele esfaqueou os dois enteados, de 15 e 17 anos, mas o mais novo sobreviveu.

Antes e depois de matar um dos enteados, de 17 anos, e esfaquear o outro, de 15, em Juína, na segunda-feira (16), J.A.D.S, de 45 anos, enviou áudios pelo WhatsApp à mãe das vítimas, dizendo que tinha adorado cometer o crime. Ele foi preso na terça-feira (17) e o celular dele, apreendido e enviado para a perícia, de acordo com a Polícia Civil. Segundo a Polícia Civil, J.S. foi preso quando andava a pé pela MT-170, possivelmente na tentativa de deixar o município.

Antes de esfaquear os adolescentes, ele avisou a mulher que algo aconteceria e que ela se lembraria desse dia “para o resto da vida”. No dia do crime, a mãe das vítimas estava em Cuiabá. Todos moravam juntos na mesma casa, em Juína.

“Você vai ver o que vai acontecer de hoje para amanhã. Você vai sofrer esse sofrimento o resto da vida. Você vai chorar e lembrar”, diz o homem, em trecho do áudio.

J.S. ainda enviou outra mensagem à mulher, dizendo que havia “amado” cometer o crime. “E aí, Lu?! Você gostou de ver seus dois filhos mortos? Porque eu amei matar”, diz, em um dos áudios.

Em outra mensagem de áudio, o padrasto diz que o filho mais velho da mulher não estava em casa no momento do crime, mas que ele voltaria para matá-lo.

“Ele não está aqui, viu?! Mas eu vou voltar ainda para terminar de acertar o resto. Vou acertar ele bem acertado também. Você me aguarda. Seu belo gato vai rodar agora nesse momento. São 10 (minutos) para a meia-noite, todo domingo, aos 10 para a meia-noite você lembrará”, diz J.S., em mensagem.

O investigador Cléber Figueiredo contou que vários áudios foram enviados pelo homem até o momento da prisão. De acordo com ele, o conteúdo das mensagens é “coisa de alucinado”.

Após a prisão, J.S. tentou se enforcar na cela com a camisa que estava usando.

“Ele se diz arrependido, chora muito. No dia em que foi preso, tentou se enforcar com a própria camisa. Um dos presos gritou por ajuda e ele foi socorrido”, contou o policial.

Segundo o investigador, ainda não se sabe se J.S. possui algum tipo de distúrbio mental. Ele não possui passagens pela polícia. “Antes de cometer o crime, ele levava uma vida normal e trabalhava de carteira assinada”, disse.

O crime

A polícia foi acionada após um parente das vítimas receber uma mensagem pelo celular avisando sobre a morte do adolescente, na segunda-feira (16). A porta da casa estava aberta e o enteado mais velho caído na cama, já morto.

Segundo a Polícia Civil, o adolescente de 17 anos teve a cabeça subdivida do pescoço, ferimento chamado de esgorjamento. O irmão dele, de 15 anos, foi encontrado no sofá da casa, com um ferimento profundo na nuca, mas estava consciente. Eles foram encontrados pelo filho mais velho dela.

O adolescente que estava ferido foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município.

Montreal