Operação Carne Fraca estimulará o fortalecimento das ações
Adventista



Operação Carne Fraca estimulará o fortalecimento das ações

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Assessoria
SHARE

Depois de se reunirem para avaliar a repercussão do caso, produtores, donos de frigoríficos, representantes do governo estadual e do Ministério da Agricultura em Mato Grosso, decidiram que a situação gerada em virtude da operação “Carne Fraca” desencadeada pela Polícia Federal na sexta-feira (16.03) servirá de impulso para o fortalecimento da ações de inspeção animal especialmente em Mato Grosso.

 

O segmento participou de uma reunião na segunda-feira (20.03), na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT), proposta pelo secretário da pasta, Ricardo Tomczyk, a pedido do governador Pedro Taques, da qual saíram manifestações de apoio ao trabalho do Ministério da Agricultura e ao Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) que foram apresentadas à Taques, ainda na tarde do dia 20 de março.

 

É de comum acordo entre os envolvidos na cadeia produtiva que o resultado da operação não traz conforto para o setor em Mato Grosso. Traz comprometimento com o problema no sentido de apoiar, ainda mais, as iniciativas desenvolvidas pela Superintendência Federal de Agricultura no Estado (SFA-MT/Mapa), executadas em parceria com o Indea-MT no que diz respeito às ações de inspeção animal.

 

“Foi uma análise em conjunto, muito produtiva, onde ouvimos os envolvidos. Acreditamos ser oportuno para discutirmos a modernização do sistema de inspeção vigente. Mato Grosso sai na frente neste aspecto com outras iniciativas com a própria cadeia, que é uma característica do nosso Estado em trabalhar em conjunto com a cadeia, que independente desse problema, já vínhamos tomando algumas iniciativas, entre elas, o fortalecimento do Indea, a modernização da legislação estadual de sanidade animal, onde foi feita uma revisão completa e aprovada em dezembro do ano passado, a criação do Instituto Mato-grossense da Carne (Imac), que também teve seu escopo alterado em dezembro de 2016 para incluir a inspeção sanitária. Também já tinha sido contratado um consultor francês que foi diretor por muito tempo da OIE, que vem no final de março prestar consultoria não só para o Indea mas para toda a cadeia sobre a questão sanitária”, destacou Ricardo Tomczyk, com base nas atitudes que já estavam em andamento, considerando a relevância do setor e os compromissos assumidos internacionalmente.

Em relação a atuação do Ministério da Agricultura os participantes da reunião mostraram extrema confiança no trabalho, principalmente executado em Mato Grosso. Todos tem confiança na qualidade da carne mato-grossense e pelo Brasil, e fizeram questão que isso fosse transmitido ao governador Pedro Taques. “Nos compete agora em auxiliar o Mapa no que for preciso para a modernização das inspeções nesse programa todo, para mostrar ao mercado internacional que existe o controle efetivo do Mapa em parceria com o Indea. Estamos prontos para isso”, frisou Tomczyk.

 

Quanto aos impactos da operação, na avaliação do segmento, é esperado possíveis consequências para o Estado. Todos estão receosos quanto ao acesso dos mercados internacionais, uma vez que naturalmente pode ter reflexos, mas estão confiantes na qualidade da carne produzida em Mato Grosso.

 

No decorrer da reunião, proprietários de dois frigoríficos presentes, receberam ligações de clientes nas quais foram dadas a garantia para que continuem as remessas para o exterior, especialmente para Hong Kong.

 

Ainda assim, acredita-se que indiretamente o Estado vai sofrer os reflexos, considerando ser o segundo Estado exportador de carne bovina do país e um dos mais importantes exportadores de carne suína e de aves.

 

Integraram a reunião na Sedec, Superintendência Federal de Agricultura no Estado de Mato Grosso (SFA-MT/Mapa), representantes da Famato, Acrismat, Acrimat, donos de frigoríficos e Imac.