Oficina do SENAR-MT mostra como se prepara defensivos naturais
Supermoveis

Fullbanner2


Oficina do SENAR-MT mostra como se prepara defensivos naturais

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Assessoria
SHARE

Estudante de engenharia agronômica, Manoela Albino, de 26 anos, conta que a receita do “formulado de alho” vai ser muito útil no combate às pragas e doenças que atacaram as plantas em sua casa. Ela participou da oficina de Defensivos Naturais, ofertada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (SENAR-MT) e aprendeu algumas receitas.  “Na faculdade temos acesso a teoria, mas este tipo de atividade onde exercitamos a prática agrega valor ao meu currículo”.

Ela conta que, nesta oficina, aperfeiçoou as informações que já tinha recebido em sala de aula. Segundo a estudante, o instrutor credenciado junto ao SENAR-MT, Maicon Maia conseguiu sintetizar o conhecimento. “Isso somado à prática me fez assimilar melhor o conteúdo”.

Manoela participou do grupo que fez o formulado de alho. “É uma receita fácil de fazer. Utilizamos produtos como o alho e o sabão que estão bem à mão tanto para os produtores, como para as donas de casa e, isso torna o defensivo natural um produto cada vez mais procurado, porque além de todos os benefícios também é barato”.

Outro ponto importante para Manoela é que com os defensivos naturais é possível combater pragas e doenças evitando os compostos químicos. “Isso significa mais saúde, tanto para as plantas como para o ser humano”, enfatiza a estudante.

Além de Defensivos Naturais, o SENAR-MT, em parceria com o Sindicato de Produtores Rurais de cada município, oferece pelo menos mais 40 outras oficinas. Elas têm carga horária de quatro horas e, normalmente, são realizadas durante as feiras agropecuárias. Em 2017, a instituição participa de mais de 50 nos mais variados municípios mato-grossenses.

Além desta que mostra como fazer defensivos naturais, há também a de hortas verticais, classificação de grãos, agricultura de precisão, biometria da piscicultura, manutenção de tratores agrícolas e vária outras. Mas não é só isso, há também oficinas na área de beneficiamentos de alimentos e também na de confecção de produtos derivados do couro.

Assim como Manoela, as estudantes de zootecnia, Ana Carolina da Silva Lima, de 22 anos e Maria Fernanda de Almeida e Silva, de 22 anos, fizeram a oficina em busca de prática. Elas também fizeram a de horta vertical. “Aprendi fazer a horta e os defensivos naturais. Uma complementa a outra. Tenho certeza que vou conseguir fazer sozinha porque já fiz durante o treinamento”, explica Maria Fernanda.

Ana Carolina acrescenta que já tinha ouvido sobre os defensivos naturais, mas não sabia como fazer as receitas. Ela conta ainda que já houve ataque de pragas nas plantas em sua casa e que recebeu a recomendação para usar o inseticida a base de fumo de corda. “Agora com a receita fica muito mais fácil”.

O instrutor credenciado junto ao SENAR-MT, Maicon Maia, conta que o principal objetivo desta oficina é produzir defensivos naturais, para controlar de pragas. “O tempo é curto, mas além das receitas também falamos sobre a importância dos defensivos naturais, as características de algumas pragas e sobre a relação entre defensivo, praga, planta e ambiente. As receitas são muito eficientes”, explica.

Nestas quatro horas, os participantes também têm a oportunidade de conversar sobre outros assuntos como os aspectos positivos e negativos dos defensivos, tantos os naturais, quanto os químicos. Ética, cidadania e segurança no trabalho também fazem parte do conteúdo das oficinas.

Mais conta que em cada oficina fornece quatro receitas. Destas, duas são produzidas durante o treinamento. O formulado de fumo de corda tem validade de até seis meses após a formulação e combate os pulgões, lagartas, cochonilhas, grilos, vagalumes e vaquinhas. Já o de alho tem que ser utilizado em até 72 horas após a formulação e combate doenças como o míldio, ferrugens e outras. “Mas também combate pragas como lagarta das maçãs, pulgões e mosca branca”.

 

Receita de Calda de Fumo

Ingredientes

– 100 gramas de fumo de corda

– Um litro de álcool

– 5 gramas de sabão em barra ralado – pode ser sabão neutro ou de coco

Modo de preparo

– Colocar as 100 gramas de fumo de corda em um litro de água e deixar curtir por 24 horas.

– Depois de curtido diluir de três a cinco colheres da solução em um litro de água.

– Derreter o sabão em um pouco de água e misturar na solução de água misturada com o álcool

Assessoria de Comunicação do SENAR/MT
www.senarmt.org.br

Montreal