Oficina avalia melhoria do atendimento a grupos populacionais tradicionais
Supermoveis



Oficina avalia melhoria do atendimento a grupos populacionais tradicionais

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Assessoria
SHARE

O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), por meio da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (SENARC), realiza, até esta sexta-feira (28.04), a 1º Oficina de Grupos Populacionais Tradicionais e Específicos do Centro-Oeste. O evento, que conta com o apoio da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT), ocorre desde segunda-feira (24.04), em Cuiabá.

Participam coordenadores estaduais e gestores municipais, com o objetivo de avaliar e discutir as melhores formas de atendimento dos grupos populacionais tradicionais, como famílias indígenas, quilombolas, ciganas, entre outras, ou aqueles que estão sem situação específica, como pessoas em situação de rua e catadores de material reciclável.

O titular da SENARC, Tiago Falcão, avalia que as oficinas são fundamentais para sensibilizar e encontrar alternativas para melhoria do atendimento a estas famílias que, muitas vezes, sofrem com a experiência do preconceito, o que pode gerar mais vulnerabilidade e dificuldade de acesso às políticas públicas. “Assim, pela importância dessas famílias para a formação social e cultural brasileira, é necessário incentivarmos um olhar de respeito e compreensão sobre a diversidade da nossa sociedade”.

A oficina é dividida em temas. No primeiro dia do evento, foram tratadas as questões do acompanhamento familiar, que é feito com aqueles que recebem Bolsa Família e, por alguma razão, não está conseguindo cumprir as condicionalidades de saúde, como vacinação e acompanhamento do crescimento e do desenvolvimento das crianças, e pré-natal para gestantes, e de educação, como frequência escolar. Nesse dia, se reuniram, além dos coordenadores estaduais e gestores municipais do Cadastro Único e Bolsa Família, os gestores de saúde, educação e assistência social básica, para avaliar as dificuldades e alternativas para a melhoria do atendimento.

A programação de quarta-feira (26.04) foi voltada para o Bolsa Família e contou com a participação da Caixa Econômica Federal para esclarecer e avaliar formas de pagamento e acesso ao benefício adequados para essas populações. Muitas vezes, são famílias que estão em regiões de difícil acesso, longe de centros urbanizados, o que significa um custo mais elevado de deslocamento para recebimento, por exemplo.

Já a quinta-feira (27.04) será dedicada às discussões sobre o Cadastro Único e as formas de cadastramento. Lideranças ciganas e de população em situação de rua falarão sobre a experiência de como é feito o atendimento de suas necessidades e, na sequência, gestões municipais do Cadastro Único apresentarão iniciativas criativas e de sucesso que ajudaram a melhorar o atendimento às famílias.

No último dia, o debate será voltado para o uso dos recursos do Índice de Gestão Descentralizada (IGD), que são repassados pelo MDSA para os Municípios e Estados, como forma de contribuir para a manutenção do Cadastro Único, bem como do Programa Bolsa Família.

As Oficinas Regionais de Grupos Populacionais Tradicionais e Específicos ocorrerá em todas as regiões do Brasil ao longo deste ano.

O encontro segue até a sexta-feira (28.04), sempre a partir das 8h, no auditório do hotel Business Prime, localizado na Avenida República do Líbano, 2258 – Jardim Monte Líbano, em Cuiabá.

(Com informações da Ascom do MDS)