O verdadeiro pai… da demagogia
Fullbanner1

Fullbanner2


O verdadeiro pai… da demagogia

0
Fonte: Da Redação
SHARE

O deputado federal, Carlos Bezerra (PMDB), já está chegando próximo ao fim da sua carreira política. Ele próprio assume que avalia a possibilidade de abandonar a vida eletiva e ir morar em Lisboa, capital de Portugal, a partir do ano que vem, atendendo um rotineiro pedido da esposa, Teté Bezerra. Mas até lá ainda tem tempo e um mês, um dia, ou melhor, uma conversa para ele já será suficiente para convencer quem tiver perto de que foi ele e não Neil Alden Armstrong o primeiro da história a pisar na lua.

Embora muita gente achasse que com o tempo essa mania de capitalizar sobre trabalhos que não foi protagonista fosse ao menos amenizar, a verdade é que piorou. Se formos pensar dentro da lógica, até por uma questão natural, haja vista que não há nenhum outro ser humano melhor para agregar vantagem a si mesmo, em forma de prosa, do que o homem quando fica idoso.

Recentemente, Bezerra fez uma coletiva na Prefeitura de Rondonópolis para anunciar a vinda de mais de R$ 80 milhões de emenda de bancada para a cidade em 2018. Deu entrevista e para muita gente saiu na foto como sendo o articulador da coisa. Na verdade, o veterano fez foi botar o trabalho liderado pelo deputado federal, Adílton Sachetti (PSB), junto aos outros congressistas do estado, em risco. Com o anúncio precoce do direcionamento da emenda de bancada só para uma cidade, lideranças de outras localidades passaram a pressionar seus representantes e a verdade é que a coisa pode melar pela boca grande do cacique do PMDB.

Desta vez, a estratégia foi se juntar a bela deputada estadual, Janaína Riva (PMDB), e surgir como o “pai da regularização fundiária” que deve render milhares de titulações a áreas rurais no estado. A prática da coisa, no entanto, mostra que o grande mérito do Bezerra no assunto foi conseguir junto a Presidência da República a indicação do superintendente estadual do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – Incra, João Bosco de Moraes. Com o chefe do setor lhe devendo essa, Bezerra sempre será avisado antes e colocado na cadeira central dos eventos de entrega de titulação.

A verdade, porém, é que toda a pressão feita em cima do Governo Federal para que saíssem as titulações foi de toda bancada, vinculada nesse trabalho principalmente a figura do vice-líder do Planalto no Senado Federal, José Medeiros (PSD/MT). Foi após uma dura reunião de cobrança marcada por Medeiros, que o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha (PMDB), e o próprio presidente, Michel Temer (PMDB), puseram Mato Grosso na lista de prioridades no programa de regularização que agora Bezerra tenta batizar com seu nome.

O engraçado é ver que esse vírus da lorota que Bezerra carrega em seu sangue tem características político-hereditárias e todos seus “filhos” criados na vida pública usam da mesma tática. É só ver como atuam os que passaram por seus treinamentos e isso fica visível. Na Câmara Municipal de Rondonópolis tem um deles, que ainda está aprendendo as táticas, mas que está até falando por aí que Bezerra garantiu que ele é candidato a deputado estadual do partido na região sul. O duro é escrever e confiar no que o chefe fala…

Montreal