O tempo não espera por ninguém, torcedor da minha terra (Barreto) –...
Adventista



O tempo não espera por ninguém, torcedor da minha terra (Barreto) – Dr Francisco Mello

Fonte:
SHARE

O tempo não espera por ninguém, torcedor da minha terra. Esta era uma frase recorrente de Jota Barreto.  Fico imaginando as narrações esportivas locais sem esta voz alegre e emblemática do nosso Barretinho.

No céu há um excelente time de radialistas tais como: Barreto, Tonico Maravilha, David Soares, Tostão, Gutemberg, Noel Paulino e Salaquiel Moisés. Nossa Rádio Clube está órfã destes notáveis profissionais, no entanto, Deus saberá utilizá-los no além para a alegria da grande comunidade celestial.

Há anos, tive a honra de ser diretor de imprensa, do União Esporte Clube na gestão do grupo dos 11 dos quais Barreto fazia parte assim como Dorildo, Cláudio Zanotto, Gilmar Moura e outros.

Lembro que agendei uma visita ao Diretor da Sadia Senhor Ismar, Ele nos recepcionou e fechamos um acordo de patrocínio para uniforme e pagamento de alguns atletas, entre eles Corina.

Barreto pediu sugestão ao empresário para a nossa diretoria e ele disse; Vamos resgatar o bom nome da agremiação que está desgastada. Com uma caneta enumerou: Sentem-se com os credores, solicitem de cada um, renúncia de parte dos créditos e o parcelamento do restante em três ou quatro anos; envolvam a sociedade, despertem na torcida o amor e interesse pelo Clube e por aí vai.

Eu notei que Barreto se emocionava. Na saída ele agradeceu e abraçou fortemente seu Ismar e ao cruzar o pátio, bastante eufórico me disse: parabéns professor Chico Mello, a reunião não poderia ter sido melhor, estou muito feliz com o resultado.

Trabalhei na Rádio Clube por anos, convivi com todos esses saudosos amigos e hoje como diz o gaúcho estou tapado de saudades. De qualquer forma respeito os desígnios do Patrão Velho da Estância de Cima e rogo a Ele que acolha nas melhores mansões celestiais, nosso querido Barretinho, Ita, e os demais amigos citados.

Ita, meu velho amigo, quantas peladas jogamos na cancha do japonês frente à casa de teu pai! Belos tempos, belos dias… Para o alto querido. Deus é contigo, prezado.

À amiga Olinda, desejo serenidade para ressignificar este contexto assim como resignação e sabedoria para conviver com a saudade.

Estou emocionado. Não é pra menos. Deus pra nós.

Dr. Francisco Mello dos Santos. Advogado Criminalista. OAB-MT 9550 e professor de Carreira. Especialista em Direito Penal e Processual Penal. drfranciscomello@terra.com.br (669)996892292.