No dia mundial do dentista, profissionais falam dos desafios da profissão
Fullbanner1

Fullbanner2


No dia mundial do dentista, profissionais falam dos desafios da profissão

Fonte: Ana Flávia Dorsa e Thiago Mattar
SHARE
No Brasil, mais de 50% da população não vai ao dentista regularmente. Foto: Ilustrativa.

De acordo com pesquisa divulgada pelo IBGE em 2 de junho de 2015, o Brasil é o país com a maior quantidade de cirurgiões-dentistas no mundo. São mais de 260 mil profissionais da odontologia, e, mesmo assim, 55,6% dos brasileiros não vão ao dentista regularmente.

No país onde os hábitos de usar fio dental e trocar a escova de dentes de três em três meses ainda sofrem resistência, a mesma pesquisa apontou que 11% da nossa população é composta por pessoas desdentadas. Isso corresponde a 16 milhões de brasileiros sem nenhum dente na boca.

Em Rondonópolis, a reportagem do portal Notícias de Mato Grosso conversou com alguns profissionais da saúde bucal sobre as dificuldades de trabalhar na área atualmente.

O Dr. Arthur Tasso Sulman, especialista em implantes dentários, diz que o maior desafio ainda hoje é promover uma odontologia cada vez mais preventiva, na qual o paciente precise cada vez menos de reabilitação e tratamentos corretivos.

O cirurgião traumatologista buco-maxilo-facial Dr. Victor Hugo Pietnozka Rodrigues diz que os cuidados com a boca são indispensáveis para a qualidade de vida da população, mas que os problemas vão além do que se vê na boca do paciente.

“A Odontologia é uma profissão com caráter humanista. Tem muito mais para tratar e entender do que apenas dentes. O entendimento do profissional, hoje, e a forma como lida com os pacientes, vão influenciar diretamente na qualidade e evolução do tratamento”.

Exercendo esse caráter humanista, dentistas filiados ao grupo Qualidade em Saúde programam para este mês de outubro algumas ações de conscientização sobre a saúde bucal em escolas de Rondonópolis.

O cirurgião-dentista César Marques de Lima, afiliado ao grupo, comenta sobre a importância do contato direto com as crianças. “É importante que façamos esse trabalho social de conscientização na busca de ajudar pessoas que não tem condições ou mesmo educação em saúde bucal; a odontologia no Brasil é muito moderna e sofisticada, mas nem todo mundo tem acesso”.

Para Lima, faltam investimentos na área. “Faltam investimentos nos postos de saúde. O poder público precisa valorizar cada vez mais os profissionais da Odontologia e proporcionar maior acesso da população aos atendimentos”, conclui.

Montreal