Na tentativa de inverter a “quebradeira”, Taques se acusou
Supermoveis



Na tentativa de inverter a “quebradeira”, Taques se acusou

Fonte:
SHARE
Foto - Istoé

Depois do pré-candidato ao Governo de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), insinuar que o atual gestor, Pedro Taques (PSDB), promoveu uma verdadeira “quebradeira” no estado para ilustrar a má gestão financeira do tucano, o mesmo rapidamente respondeu afirmando que “algumas empresas quebram também por fracasso”, ironizando a situação de recuperação judicial por que passa algumas das empresas de Mendes, como é o caso da Bimetal Indústria Metalúrgica. O democrata acabou não deu mais corda ao assunto, mas segundo comentou-se nos bastidores a avaliação final do caso é bem simples: as empresas de Mauro entraram em colapso justamente quando ele as “abandonou” para ir a política e se dedicar, por exemplo, ao mandato de prefeito de Cuiabá, de 2012 até 2016. Já Taques, segundo se estima-se, entregará nas mãos do próximo governador uma dívida próxima de R$ 4 bilhões, sendo que quando pegou o comando do governo corrupto de Silval Barbosa a realidade a pagar era de R$ 800 milhões. Quem informou os números foi o próprio ex-vice-governador de Taques, Carlos Fávaro, em entrevista recente a uma emissora de rádio.

Voltando a réplica em uma análise um pouco mais cuidadosa, quando Taques disse: “algumas empresas quebram também por fracasso”, o também da frase foi uma confissão.