Na reta final, votos de Rondonópolis passam a ser decisivos
Adventista

Fullbanner1


Na reta final, votos de Rondonópolis passam a ser decisivos

Fonte:
SHARE

Os mais de 150 mil votos concentrados nos eleitores de Rondonópolis podem ser o divisor de águas no processo eleitoral deste final de semana. A estrutura politizada da cidade que deste década  de 80 com a eleição de Carlos Bezerra ao governo do estado tem peso decisivo em campanhas eleitorais, ainda mais como essa onde a disputa pelo cargo de senador e de governador está acirrada.

A cidade já ajudou eleger senadores e governadores em muitas eleições; em 1998, por exemplo, Antero Paes de Barros, conquistou uma das vagas do senado com os votos de Rondonópolis que foram decisivos. Naquela eleição, Antero que representa a baixada cuiabana, chegou a dizer que seria não apenas um senador de Mato Grosso e sim de Rondonópolis.

Blairo Maggi, quando foi candidato a governo em 2002, teve votação expressiva na cidade e com os votos do rondonopolitano, levou a eleição no primeiro turno. Se o eleitor da cidade não votasse em peso em Maggi, dificilmente ele venceria aquela primeira campanha no primeiro turno.

Em 2010, quando disputou o senado, mais uma vez, o eleitor local votou em peso em Maggi e também em Pedro Taques, os dois foram os mais votados para o senado. Taques contou com muitos votos na cidade pelo fato de ter escolhido um suplente local, o então Policial Rodoviário Federal, José Antônio Medeiros.

Na verdade está nas mãos do eleitor local; levar ou não a eleição para o governo para o segundo turno. Os votos de Rondonópolis se migrarem para Wellington Fagundes, ou para Pedro Taques,  dependendo da proporção pode deixar a disputa com Mauro Mendes,  líder das pesquisas equilibrada.

No senado, a mesma vertente com relação aos votos da cidade é válida; pois dependendo da forma como eleitor se posicionar a vaga pela segunda vaga; que está disputadíssima entre Adilton Sachetti, Nilson Leitão, Selma Arruda, Procurador Mauro e Carlos Fávaro pode tomar um rumo, o qual as pesquisas ainda não mostram com clareza.