Município sofre com a falta de repasses para atendimento na Saúde
Fullbanner1

Fullbanner2


Município sofre com a falta de repasses para atendimento na Saúde

Fonte:
SHARE
Foto: Após receber as autoridades de Primavera, secretário agilizou a liberação dos pagamentos e garantiu os atendimentos na UTI / Assessoria.

O prefeito Érico Piana, acompanhado do secretário de Saúde, Fabio Lago, foi recebido na semana passada em Cuiabá, pelo secretário adjunto da Casa Civil, José Adolpho de Lima Vieira, no Palácio Paiaguás. O prefeito pleiteou junto ao secretário a regularização dos pagamentos aos hospitais conveniados que atendem os pacientes do município pelo Sistema Único de Saúde – SUS.

O chefe do Executivo municipal explicou que havia o risco de interrupção no atendimento aos pacientes que necessitavam de tratamento na UTI se os pagamentos não fossem regularizados. O prefeito lembrou que a UTI instalada no Hospital de Clínicas de Primavera do Leste, recebe pacientes não só do município, mas de todo o estado.

De acordo com o prefeito, desde sua inauguração em janeiro de 2014, a UTI é bancada pelo Estado e Município, entretanto, a responsabilidade pelo pagamento é do Estado e do Governo Federal, através de um convênio que ainda não foi assinado pelo Ministério da Saúde.

Enquanto isso não acontece, para não haver interrupção nos atendimentos, a prefeitura continua pagando uma parte das despesas. O Estado paga pouco mais de 280 mil reais mensais e a prefeitura tem arcado com cerca de 90 mil mensais.

Durante a visita, que foi acompanhada pelo vereador Luis Costa, o secretário encaminhou a solicitação do prefeito e um pagamento parcial foi liberado no mesmo dia. Os outros pagamentos foram liberados seguindo uma programação e os serviços foram normalizados.

O secretário Fabio Lago afirmou que o município sofre com a falta de repasses do Estado para a Saúde, mesmo absorvendo uma demanda de diversos outros municípios. “Hoje Primavera é o único município, de médio porte do Estado, que não tem incentivo financeiro estadual para o custeio de ações para a saúde. Considerando que a UTI é um serviço de alta complexidade, ela deveria ser de responsabilidade só do Estado. Atualmente Primavera do Leste tira dos cofres públicos para poder manter o serviço na cidade. Nós temos ido a Cuiabá pelo menos de 15 em 15 dias para poder rever essa situação e garantir a manutenção do serviço, atualmente atendemos aqui, além da nossa demanda, toda a demanda da microrregião e municípios do Araguaia, nosso custo tem sido altíssimo” declarou.

Montreal