Municipalização no acolhimento de crianças e adolescentes garante melhor assistência


Municipalização no acolhimento de crianças e adolescentes garante melhor assistência

0
Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Assessoria
COMPARTILHE

Cinco crianças e adolescentes neuropatas – com doenças ou problemas no funcionamento dos nervos -, devem se mudar do Lar da Criança para a Casa Cuiabana IV na segunda quinzena de julho. A casa lar foi inaugurada na manhã dessa quinta-feira (29.06) e será administrada em parceria entre a Prefeitura de Cuiabá e as Casas Caminho Redentor, com o apoio do Governo do Estado.

Atualmente, 17 crianças com múltiplas deficiências estão acolhidas no Lar da Criança, de responsabilidade do Governo do Estado, coordenado pela Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas). Para a transferência das cinco crianças, a contrapartida do Estado é manter a assistência domiciliar de saúde, conhecida como home care.

“Com a mudança das cinco crianças para o Caminho Redentor ficaremos com doze crianças num processo de transição, elas também vão para outras casas no modelo de casa lar. E a expectativa é que até dezembro o atendimento seja 100% municipalizado”, conta a superintendente do Lar da Criança Marimar Michells.

O titular da Setas Max Russi, destacou o esforço conjunto entre poderes da esfera municipal e estadual para que o atendimento das crianças e adolescentes seja adequado as diretrizes nacionais e internacionais de assistência social. Entre eles, a municipalização do acolhimento dos menores em abrigos institucionais com o apoio do Estado.

Participaram da inauguração da casa lar o prefeito Emanuel Pinheiro, secretário municipal de Assistência Social e Desenvolvimento Humano Wilton Coelho, a presidente Maria Soledade Amadeu e representantes das Casas Caminho Redentor, o promotor de Defesa da Infância e Juventude de Cuiabá José Antônio Borges Pereira, a juíza da Primeira Vara da Infância e Juventude da Comarca de Cuiabá, Gleide Bispo dos Santos.

Casas Caminho do Redentor

A obra da nova casa demorou cerca de um ano e foi executada com recursos doados pela sociedade civil e empresas privadas. A construção tem capacidade para 10 crianças e adolescentes neuropatas.

Na mesma área de propriedade da instituição filantrópica, localizada na região do Coxipó, existem mais três casas, além da nova sede inaugurada para atenção exclusiva ao público neuropata. Uma casa é voltada para o acolhimento de crianças e adolescentes com múltiplas deficiências, uma para adultos também PCD, e a última para convivência comunitária que tem ações de inclusão aos sábados.