Mortes na BR-163 caem 32% no primeiro semestre do ano
Supermoveis

Fullbanner2

Triburbana

Mortes na BR-163 caem 32% no primeiro semestre do ano

Fonte: Assessoria
SHARE

O número de mortes nas rodovias federais sob concessão de Mato Grosso reduziu 32% no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2016. Os dados da Rota do Oeste apontam ainda queda no índice total de acidentes (4%) e feridos (3%). Em junho, a Concessionária registrou a menor quantidade de óbitos desde que assumiu a responsabilidade pelos 850 quilômetros da BR-163, BR-364 e rodovia dos Imigrantes (BR-070): três casos.

De janeiro a junho de 2017, foram registradas 41 mortes nas rodovias. Em 2016, no mesmo período, foram contabilizados 60 óbitos. Quanto aos acidentes e feridos, este semestre foram 1.467 e 829 casos, respectivamente, contra 1.532 e 587 registros em 2016. A redução dos casos tem ocorrido gradualmente desde 2014, quando iniciou o trabalho da Rota do Oeste no Estado.

O diretor de Operações da Rota do Oeste, Fernando Milléo, destaca dois pontos importantes relacionados às estatísticas. O primeiro é que o número de mortes vem caindo gradativamente desde 2014, quando a Concessionária assumiu, o que era o objetivo. O segundo ponto é que dados revelam que a gravidade dos acidentes diminuiu, o que pode ser reflexo de uma soma de fatores, segundo ele. “Há uma maior conscientização dos motoristas e esse é o fator mais importante, com certeza. No entanto, também há impacto dos investimentos feitos nas rodovias, dos serviços de guincho e socorro médico, além do endurecimento das leis e aumento da fiscalização realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF)”.

Milléo cita como exemplo a redução dos casos de colisões frontais, o tipo mais grave de acidentes em uma rodovia. Elas são resultado, na maioria das vezes, de ultrapassagens irregulares ou forçadas. No decorrer de 2016, somente 4% dos acidentes foram colisões frontais, mas que foram responsáveis por 52% dos óbitos.

“Neste semestre, o número de vítimas fatais por este tipo de colisão representa 19%. Saímos de 27 acidentes frontais, de janeiro a junho do ano passado, para seis casos em 2017. A queda é significativa, mas o nosso objetivo é diminuir ainda mais essa estatística”, explica.

Diante da gravidade das colisões frontais, o Governo Federal aumentou os valores das multas para as ultrapassagens. As manobras irregulares passaram de R$ 127,69 para R$ 957,70 e a penalidade para ultrapassagem forçada passou para R$ 1.915,40 contra os R$ 191,54 cobrados anteriormente.  Outra medida adotada em favor da segurança foi a Lei dos Faróis, que amplia a visibilidade dos motoristas que trafegam nas rodovias. “Essas medidas também impactam positivamente nas estatísticas”, avalia Milléo.

A campanha Safra Segura, realizada pela Rota do Oeste durante o escoamento da safra este ano, também trouxe como tema os riscos e perigos das ultrapassagens indevidas. O diretor de Operações acredita que as informações repassadas rotineiramente aos motoristas, por meio de palestras e campanhas, ampliam a conscientização e isso reflete em mais segurança nas rodovias.

“A postura dos motoristas influencia muito na segurança do tráfego e salva vidas. Infelizmente, ainda é muito alto o número de pessoas que bebem e dirigem, especialmente nas travessias urbanas, e a incidência de pessoas usando o celular ao volante. Esses comportamentos precisam ser repensados”, orienta.

O chefe do núcleo de Comunicação da PRF, Hugo Mageste, complementa que a queda nos casos de mortes ocorreu nas cinco rodovias federais do Estado e aponta que a fiscalização foi intensificada este ano, com foco no combate ao excesso de velocidade, alcoolemia e uso do cinto de segurança. Em 2016, parte do efetivo policial teve que atuar nas Olímpiadas, no Rio de Janeiro.  “Também ocorreu a intensificação das ações com foco na educação para o trânsito, abrangendo uma maior quantidade de pessoas e conscientizando a sociedade sobre os perigos nas rodovias”, cita.

A PRF e a Rota do Oeste atuam em parceria nas ações de conscientização realizadas ao longo do ano, como Rota Segura, Parada Legal, Safra Segura e Festival de Trânsito (Fetran).

Atendimentos – O socorro imediato às vítimas de acidentes também é ponto positivo para quem trafega na BR-163. O trecho concessionado conta com 18 bases operacionais, uma a cada 47 quilômetros, em média, com todo aparato necessário para atender quem trafega pela rodovia. São 18 ambulâncias, sendo cinco equipadas com Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs), guinchos, equipes de inspeção, entre outros recursos que favorecem quem passa por alguma situação de risco na BR-163.

QUADRO – Redução ano a ano

2013 – 64 vítimas; (antes da CRO)

2014 – 52 vítimas;

2015 – 64 vítimas;

2016 – 60 vítimas;

Montreal