Meirelles rebate crítica sobre corte de juros em comparação com gastos previdenciários
Fullbanner1



Meirelles rebate crítica sobre corte de juros em comparação com gastos previdenciários

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Agência Câmara
SHARE

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que as experiências de cortar os juros da divida pública por decisão unilateral do governo não deram certo. Alguns deputados criticaram o ministro por não citar o quanto o governo gasta com a despesa de juros em comparação com os gastos previdenciários.

Meirelles citou a experiência da Grécia cuja população teria votado em uma proposta política de corte de juros, mas isso teria levado esta mesma população a sacar dinheiro dos bancos, temendo as consequências disso. Segundo ele, não há como obrigar os investidores em titulos públicos a financiar os gastos do governo a qualquer preço.

Meirelles disse ainda que o teto de gastos foi a solução que fez com que os investidores voltassem a confiar no País e estão possibilitando uma queda significativa dos juros agora.

O ministro disse que o governo tem combatido com rigor a sonegação e cobrado como pode os devedores da Previdência Social. “Mas nós vivemos num estado de direito e as pessoas recorrem à Justiça quando não concordam com alguma autuação”.

O debate desta quinta-feira (30) encerrou a fase de audiências públicas da comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa a reforma da Previdência (PEC 287/16). O relator, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), se comprometeu a conversar com todas as bancadas partidárias antes de entregar o texto para votação.

A audiência já se encerrou.