Médicos e enfermeiros são capacitados para cuidar de pacientes com obesidade
VendaMais

Médicos e enfermeiros são capacitados para cuidar de pacientes com obesidade

SHARE
O treinamento ofertado aos médicos e enfermeiros das unidades de saúde foi organizado pelas técnicas do Programa de Doenças Crônicas não Transmissíveis e dividido em duas etapas. /Foto Matusalem Teixeira

Por Coracy Lima

Preparar médicos e enfermeiros das unidades básicas de saúde de Rondonópolis para saberem cuidar de pacientes com sobrepeso e obesidade. Esta é a meta do endocrinologista Arthur Emílio Vieira que começou a capacitação dos profissionais nesta quarta-feira (18). Dentre as lições ensinadas, ele alerta que a obesidade é uma epidemia no Brasil e no mundo e pode ser combatida com alimentação saudável e equilibrada e atividade física.

 

Responsável pelo ambulatório de obesidade do Centro de Especialidades e Apoio Diagnóstico Albert Sabin – Ceadas – Arthur Emílio conscientiza os participantes do treinamento sobre o risco da série de doenças resultantes da obesidade. Entre os males causados estão doenças cardiovasculares e depressão. O médico palestrante aponta infarto e Acidente Vascular Cerebral – AVC como principais causas de morte entre obesos e pessoas com sobrepeso.

 

Depois de enumerar todos os males que podem ser causados pelo excesso de gordura corporal, Arthur Emílio comparou a obesidade é ‘uma bomba relógio próxima de explodir’. A solução, aponta o especialista, é o tratamento guiado pelo Índice de Massa Corpórea – IMC que pode ser desenvolvido na unidade básica de saúde. “Por isso treinamos médicos e enfermeiros para saberem oferecer os cuidados iniciais aos pacientes com sobrepeso e obesidade”, comenta.

 

Na aula especial para os profissionais, Arthur Emílio citou a importância das mudanças de hábitos com a reeducação alimentar e a prática de atividades físicas, além do acompanhamento de psicólogo, nutricionista e tratamento com medicamentos e cirurgia bariátrica.

Interessado em conscientizar profissionais da saúde e a comunidade sobre a necessidade de combater a obesidade em homens, mulheres e crianças, Arthur Emílio citou as estatísticas da Organização Mundial de Saúde – OMS que revelam a epidemia da doença no Brasil e o Mundo. O levantamento indica que 39% da população mundial está acima do peso e outros 19% são obesos.

 

O curso é realizado no auditório da Secretaria de Saúde. /Foto Matusalem Teixeira
O curso é realizado no auditório da Secretaria de Saúde. /Foto Matusalem Teixeira

No Brasil os índices são ainda mais alarmantes. A estatística revela que 50,6% da população nacional está acima do peso e a média de 20 a 29% é de obesos. O levantamento em Mato Grosso mostra que 33,2% da população são de pessoas acima do peso e 19% sofrem de obesidade.

 

O treinamento ofertado aos médicos e enfermeiros das unidades de saúde foi organizado pelas técnicas do Programa de Doenças Crônicas não Transmissíveis e dividido em duas etapas. Janne Paula Vieira Gonçalves de Araújo e Lúcia Rodrigues de Andrade antecipam que a segunda turma de profissionais da área participam da capacitação na próxima quarta-feira (25).

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO