Materiais para arrombamento de bancos são apreendidos por policiais de MT e...
Supermoveis



Materiais para arrombamento de bancos são apreendidos por policiais de MT e MS

Fonte: Polícia Civil
SHARE

Vasta quantidade de materiais e ferramentas utilizadas em arrombamentos a bancos e agências dos Correios foram apreendidos durante diligências investigativas, realizadas pela equipe da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras) da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, com a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e a Diretoria de Inteligência, nesta quinta-feira (20), em Várzea Grande.

Um veículo supostamente usado em ações criminosas também foi apreendido, no mesmo endereço onde os policiais localizaram sofisticados materiais, como rádio comunicador, bloqueador de sinal, furadeiras, alicates, cilindros de gás, máquinas para corte de caixas de eletrônicos e cofres, luvas e outros apetrechos comumente usado em arrombamentos de agências mediante quebra de parede e desligamento ou bloqueio do alarme,  para acesso ao cofre.

O delegado do GCCO, Diogo Santana, disse que o grupo investigado pela Polícia Civil de Mato Grosso também é suspeito de agir nos furtos/roubos ocorridos em Mato Grosso, além de crimes ocorridos no Piauí, Paraíba e Bahia. “Desde ontem estamos apoiando-os nas diligências. Foram interrogados cinco suspeitos que estão presos em um presídio de Cuiabá e que também são suspeitos de roubos e furtos a bancos em Mato Grosso do Sul”, disse.

As investigações da Polícia Civil de Mato Grosso Sul, busca localizar suspeitos envolvidos em ataques a instituições financeiras, ocorridos em cidades daquele estado. Um dos investigados foi visualizado em frente uma residência, de um bairro em Várzea Grande. Mas assim que percebeu a presença policial empreendeu fuga.

Em  buscas na casa, os investigadores localizaram vários materiais próprios para cometimento de crimes contra agências bancárias. O suspeito já foi qualificado e será indiciado por crimes de furto qualificado e associação criminosa.

As apreensões foram encaminhadas ao GCCO, que dará prosseguimento as investigações, para vincular os criminosos aos ataques ocorridos em Mato Grosso.

Em 2018,  foram registrados 32 ataques a instituições financeiras. São 26 furtos tentados e consumados, praticados na modalidade rompimento de obstáculo ou quebra de parede, dos quais em apenas quatro os bandidos tiveram acesso aos cofres. Também ocorreram quatro arrombamentos a caixas eletrônicos, sendo duas tentativas e dois consumados.

Ainda foram registrados dois roubos. Em ambos houve troca de tiros com policiais militares e os bandidos fugiram de uma agência levando o malote e da outra não tiveram êxito no dinheiro.