Marcenaria prisional produz e reforma móveis para comunidade de Vila Bela


Marcenaria prisional produz e reforma móveis para comunidade de Vila Bela

0
Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Assessoria
COMPARTILHE

Mãos que foram usadas para o crime, hoje prestam um serviço voluntário para sociedade de Vila Bela da Santíssima Trindade e, pelo trabalho, ganham remição na pena que estão cumprindo. Assim, reeducandos da unidade prisional começaram a trabalhar na marcenaria instalada na unidade e da produção diária já saíram 30 bancos para uma igreja da cidade e a reforma de 300 peças de mobiliário escolar. 

A madeira para a confecção dos bancos foi destinada pela Justiça, fruto de apreensões. No total, serão fabricados 50 bancos para a comunidade católica São Pedro. 

Outra atividade é a reforma de carteiras e mesas escolares da rede municipal. Mais de 300 peças de móveis que estavam quebradas e em desuso foram totalmente reformadas e hoje estão servindo aos estudantes de escolas da zona rural do município. Este trabalho tem parceria com a Prefeitura de Vila Bela. 

C.G.P. trabalha na marcenaria da unidade prisional e fala da satisfação em reformar os móveis escolares. “Foi um trabalho excelente que o diretor Edivan conseguiu para fazermos aqui na cadeia pública de Vila Bela. Foi uma reforma que fizemos com maior satisfação, para poder ajudar os alunos das escolas e ficaram muito boas as carteiras”. Ele considera o trabalho uma forma de mostrar à sociedade que quem está recluso também pode contribuir. 

Reforma de escolas e creches 

Os reeducandos da Cadeia Pública de Vila Bela da Santíssima Trindade também colaboraram no início deste ano para tornar o ambiente escolar da maior unidade do município mais agradável. 

Um grupo de cinco reeducandos reformou e pintou a Escola Municipal Ricardo Franco. De acordo com o diretor da unidade prisional, Edvan Lopes Coelho, os recuperandos receberam autorização judicial para trabalhar extramuros e receberam pelo serviço uma diária de R$ 35,00. “Com várias atividades desenvolvidas com parceiros do município estamos conseguindo mostrar que mãos antes usadas no crime, hoje estão fazendo trabalhos em benefício da sociedade. Este é o intuito da ressocialização”, afirmou Edvan. 

Escola Municipal Ricardo Franco totalmente reformada

O convênio com a prefeitura do município foi viabilizado por meio de parceira do Conselho da Comunidade e Secretaria de Justiça e Direitos Humanos. No ano passado foram reformadas creches e outros órgãos da administração municipal.

Além da atividade extramuro, 13 reeducandos da unidade trabalham na marcenaria, com a fabricação de móveis e na serralheira, na montagem de lixeiras. 

Outro projeto em andamento é a montagem de uma horta hidropônica que terá produção voltada ao consumo da unidade. Um técnico agrícola está instruindo os reeducandos no plantio e cultivo de hortaliças. 

Revitalização da cadeia 

A Cadeia de Vila Bela também passou por reformas que revitalizaram toda a unidade. Os serviços foram executados pelos reeducandos. A unidade prisional recebeu ainda um circuito interno de câmeras que permite o monitoramento das áreas internas e externas e mais segurança à movimentação nas dependências, entrada e saída de funcionários e visitantes.