Magoado com São Paulo, Milton Cruz diz: “Foi vergonhoso o que fizeram”
Fullbanner1



Magoado com São Paulo, Milton Cruz diz: “Foi vergonhoso o que fizeram”

Fonte: GloboEsporte.com
SHARE

Agora técnico do Náutico, Milton Cruz ainda não aceitou sua demissão do São Paulo, em março do ano passado. Auxiliar técnico do Tricolor durante muito tempo, ele afirmou em entrevista ao jornal “O Estado de S.Paulo” que ainda tem mágoa do clube. Mais do que ter sido desligado, o ex-auxiliar técnico do São Paulo não gostou da maneira como isso foi feito.

– Foram quase 23 anos como funcionário. Não digeri porque me demitiram em 30 segundos. Eu tenho uma história no clube. Não estava no São Paulo havia dois dias. Poderia me demitir, não tem problema. Ele (Leco) pode escolher com quem quer trabalhar. Não aceitei o jeito como foi e não aceito ainda. Isso me magoou muito. Ganhei títulos importantes. Ajudei na montagem do time campeão do mundo. Revelei jogadores… – declarou.

Para Milton Cruz, a decisão do atual presidente, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, teve motivação política por conta da sua relação com um dos opositores.

– Foi ciúmes da minha relação da minha relação com o Abílio Diniz (o empresário é um dos que faz oposição a Leco), com o Juvenal. Sempre dei a minha cara para bater. Coloquei o time duas vezes na Libertadores. Foi vergonhoso o que fizeram comigo. Hoje saio na rua e são-paulino, corintiano e palmeirense dizem que foi uma sacanagem o que fizeram comigo – falou.

De acordo com Milton Cruz, quem o comunicou da decisão não foi Leco:

– Era só me agradecer, não me chamar depois de um treino, do lado do campo, e me mandar embora. Ainda mais um dirigente (Luiz Antônio da Cunha) que ficou três dias no clube. O Leco não teve coragem de me demitir, nem o Gustavo (Vieira de Oliveira, ex-gerente), nem o Ataíde (Gil Guerreiro, ex-vice de futebol. O Leco estava sentado no banco, vendo o cara falar comigo.

+ Milton Cruz resolver processar o São Paulo após demissão

– Nem o Bauza (técnico na época) sabia. Cheguei no vestiário e ele queria conversar sobre o dia seguinte e avisei que estava demitido.

O ex-auxiliar técnico do São Paulo entrou na Justiça para rever os pagamentos feitos pelo São Paulo. Ele explica o motivo dessa decisão:

– Fiquei 23 anos lá e não entendo nada de legislação. Meus advogados vão analisar se tudo foi pago corretamente. Eles vão fazer revisão de todo o período em que trabalhei no clube. Não é contra o São Paulo. Estou fazendo isso pelas pessoas que estão lá no momento. Não tiveram dignidade na hora de me mandar embora.

Milton Cruz confirma ainda que, antes de assumir o Náutico, o Palmeiras o procurou para formar a comissão técnico como um dos auxiliares.

– Tive sondagem. Eles me queriam para ocupar o lugar do Alberto (Valentim, ex-auxiliar). Mas achei que era cedo, tinha acabado de sair do São Paulo. Estava em um momento pessoal ruim (recentemente, ele perdeu a mãe).