Lucas Fernandes não se abate com fim da fila no Flu: “Não...
Supermoveis



Lucas Fernandes não se abate com fim da fila no Flu: “Não baixo a cabeça”

Fonte: Hector Werlang
SHARE

Abel Braga não deu muitos detalhes, porém, disse que, enfim, ficou satisfeito com uma atuação de Lucas Fernandes no Fluminense. Apesar da derrota para o Nova Iguaçu (reveja os melhores momentos acima), pela primeira vez em 2017, o treinador viu no atacante as qualidades mostradas no Atlético-PR – foi destaque na campanha de classificação a Libertadores no ano passado. As arrancadas e os dribles, que geraram muita expectativa na torcida tricolor, voltaram. Ainda não suficientes para subir na hierarquia do ataque, mas capazes de agradar o técnico. O jogador, promete não baixar a cabeça apesar de estar no fim da fila das opções do setor.

Lucas entrou logo no primeiro jogo da temporada, contra o Criciúma, jogou 30 minutos e foi bem. Depois, caiu. Teve outra chance diante do Resende e sumiu. Reapareceu apenas nas partidas em que Abelão poupou os titulares: Internacional, Volta Redonda, Boavista e Nova Iguaçu. Ficou no banco em outras três oportunidades. E, em seis, sequer foi relacionado.

Ele joga pelo campo, né? Viu quem está na frente?
Richarlison e Wellington. Pronto. Está respondida a pergunta. Quem sabe, ali na
frente, com um cartão ou lesão, pode ter uma chance. Hoje (domingo) eu gostei imensamente da forma
como ele entrou. Muita personalidade, solto. O campo estava pesado, jogo
difícil. Eu gostei. Isso foi legal. Eu não vinha gostando de como ele vinha
jogando. Hoje (domingo), gostei. Óbvio que enxergo ele. O cara é diferente. Pegou três ou
quatro bolas, rasgou a defesa dos caras. Ele vai ter o momento dele. Por ora,
estou imensamente satisfeito com Richarlison e Wellington – alegou Abel.

No domingo, Lucas entrou na vaga de Osvaldo. No time titular, na função de lado de campo, está atrás de Richarlison e Wellington. Marcos Junior é a primeira opção do treinador. Maranhão é outro no grupo da função. Nos 33 minutos em que esteve em campo no domingo, conseguiu apenas uma finalização. Após a partida, admitiu sentir a falta de ritmo:

Estava fazia alguns jogos sem atuar até jogar contra o
Boavista. Perdi um pouco de ritmo de jogo. Tem de estar preparado. A
oportunidade aparece quando menos se espera. Criei uma expectativa muito grande, sim. Tive um ano
muito bom lá no Atlético-PR, mas também não baixo a
cabeça por conta das poucas oportunidades. Não vou deixar de trabalhar. O Abel
sabe muito bem o time que tem na mão e, com certeza, visa o melhor do time. Não
à toa temos bons resultados. Então, vamos contribuir pois isso aqui é um grupo.

Antes de chegar ao Furacão, em agosto passado, time pelo qual deu quatro assistências no Brasileirão, Lucas acumulou empréstimos sem brilho em clubes como Bonsucesso, Luverdense e Avaí. Tenta sucesso no profissional do Flu, afinal, foi contratado para a base. Por partes. A primeira tentativa é um lugar no banco de reservas contra o Botafogo, quinta-feira, partida na qual voltam os titulares.