Juíza condena membros do CV acusados de planejar atentado em MT
Adventista



Juíza condena membros do CV acusados de planejar atentado em MT

Fonte: Da redação
SHARE

A juíza da segunda Vara Criminal de Sinop (500 Km de Cuiabá), Débora Roberta Pain Caldas, condenou integrantes da facção criminosa Comando Vermelho que planejaram a execução de agentes da segurança pública no município, em 2016.

Foram condenados Nayara Ferreira Araujo, 24, Lucimar Cristina dos Santos Pires, 31, Leonardo dos Santos Pires, 27, Pedro Henrique Santos da Silva, 22, Pablo Aparecido Pedroso Amorin, 28, e Rogério Zamarioli, 25.

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Estado (MPE), eles são integrantes do Comando Vermelho e foram presos enquanto se organizavam para executar a “missão” de ceifar a vida de agentes de segurança pública, sendo policiais militares e agentes prisionais.

Eles estavam em posse de uma pistola 9mm, de fabricação israelense, 29 munições 9mm, em uma casa, no bairro Jardim Novo Estado, em Sinop.

Já Pablo estava em posse de outra pistola 9 mm com 20 munições do mesmo calibre, além de um cordão e espoletas de artefatos explosivos.

Conforme denúncia, Leonardo dos Santos Pires seria o líder da facção e foi condenado a 20 anos e 9 meses de prisão, por exercer comando de organização criminosa, tráfico de drogas e porte ou posse ilegal de arma de fogo de uso restrito. Ele segue preso na Penitenciária Central do Estado (PCE).

Já Pedro Henrique Santos da Silva foi condenado a 8 anos, 8 meses e 15 dias de detenção e continua preso na Penitenciária Ferrugem, no Município.

Por sua vez, Pablo Aparecido Amorim foi condenado a 9 anos, 4 meses e 15 dias de reclusão em regime fechado.  Já Rogério Zamarioli foi condenado por integrar a organização criminosa e por porte ilegal de arma, a 11 anos de reclusão em regime incialmente fechado e segue preso no Mata Grande, em Rondonópolis (212 Km de Cuiabá).

Também foram condenadas, mas em regime semiaberto, Nayara Ferreira Araujo e Lucimar Cristina.

Nayara foi condenada a 3 anos de reclusão, a ser cumprida em regime inicialmente aberto, enquanto Lucimar foi condenada a 5 anos e 10 meses de reclusão. Foram absolvidos Leonardo Moreira Janis, 25, e Gessica Jenifer da Silva, 23 pelas acusações de porte ou posse de arma de fogo. Com Folhamax.