Juiz mantém vereador de VG preso e manda Câmara investigá-lo
Adventista

Fullbanner1


Juiz mantém vereador de VG preso e manda Câmara investigá-lo

Fonte: Da redação
SHARE

O vereador por Várzea Grande, Jânio Calistro (PSD), detido em posse de uma arma de fogo em um bar na tarde de terça-feira (10) no bairro Mapim, em Várzea Grande, teve a prisão em flagrante convertida em preventiva. A decisão é do juiz Eduardo Calmon, plantonista do Fórum de Várzea Grande.

Com a decisão, o parlamentar foi encaminhado ao Centro de Custódia de Cuiabá (CCC). Policial civil aposentado, ele tem curso superior e, por isso, foi levado para a unidade.

A decisão do magistrado contraria o parecer do Ministério Público Estadual, que defendeu a concessão da liberdade ao parlamentar. Porém, o juiz entendeu que a legislação é clara ao sustentar que o policial civil deve entregar sua arma no ato de sua aposentadoria.

Além disso, Calmon destacou a impotância de se manter a ordem social diante do caso. Isso porque, em caso de soltura do vereador, a população pode se sentir estimulada a praticar crimes.

“Diante da necessidade de se manter a ordem social, uma vez que a paz da comunidade é abalada pelo cometimento do delito, pois do contrário, a soltura do indiciado (Jânio Calistro) nesse momento poderia se consubstanciar em estímulo para o cometimento de novas infrações, pois criará um sentimento de impunidade na sociedade várzea-grandense”

De acordo com o site Folhamax, além de manter a prisão preventiva, o juiz determinou que a Câmara de Várzea Grande instaure processo por quebra de decoro parlamentar por parte de Jânio Calistro. Com isso, ele corre o risco de perder o mandato. “Pelos fatos apresentados denota-se que o mesmo praticou conduta incompatível com o decoro parlamentar, que enseja a perda do mandato de Vereador, nos moldes do art. 41, inciso II e §1º, da Lei Orgânica do Município de Várzea Grande/MT”, completa o juiz.

PRISÃO

Jânio Calistro foi preso em um bar após populares denunciarem ter ouvidos disparos de arma de fogo. No local conhecido como bar “Mané Grande”, a equipe da Força Tática localizou dentro do veículo S-10, uma arma modelo PT 940, calibre “ponto 40”.

A arma estava com o brasão da Polícia Civil e um carregador com 04 munições intactas. O vereador disse aos policiais que sua carteira funcional estava em sua residência.

A assessoria de imprensa da Câmara de Várzea Grande não se manifestou sobre a prisão do parlamentar.