Jovens que atropelaram 3 serão soltos após pagar R$ 28 mil em...
Supermoveis



Jovens que atropelaram 3 serão soltos após pagar R$ 28 mil em Cuiabá

Fonte: Da Redação - Com Folhamax
SHARE
Foto: Reprodução.

A juíza Maria Rosi de Meira Borba, plantonista deste domingo, conduziu a audiência de custódia dos jovens Estênio Rodrigo Ricci e Piero Vicenzo Parini Júnior. Ela decidiu que eles podem responder ao processo em liberdade mediante o pagamento de 30 salários mínimos de fiança para cada um, o que corresponde a R$ 28.620,00.

Eles foram detidos na manhã de ontem após atropelarem três mulheres que estavam num ponto de ônibus na avenida da Prainha, região central de Cuiabá. De acordo com testemunhas, Estênio e Piero disputavam um racha quando ocorreu um acidente.

Estênio e Piero foram detidos em flagrante e autuados pelo delegado plantonista da Central em Flagrantes por lesão corporal e direção perigosa, além de embriaguez ao volante, apesar de se recusarem a fazer o teste do bafômetro. Neste domingo, foram conduzidos para audiência de custódia.

Durante a audiência, foi esclarecido que os dois jovens não são parentes de nenhum magistrado. Policiais militares que fizeram suas detenções relataram que eles diziam que eram filhos de desembargadores, numa tentativa de intimidação.

Em manifestação, o Ministério Público Estadual defendeu a homologação da prisão em flagrante, porém, com arbitramento de fiança. “Tendo o membro ministerial pugnado pela homologação do auto de prisão em flagrante com arbitramento da fiança no valor de 40 salários mínimos, suspensão da CNH, reciclagem na forma estabelecida pelo Cotran bem como reparação de danos causados as vítimas”, diz relatório da audiência de custódia.

Após manifestação da defesa, a juíza acatou o parecer do Ministério Público, porém reduziu o valor da fiança para 30 salários mínimos. Maria Rosi ponderou que a soltura dos rapazes não implicarão em prejuízo a instrução processual.

“No presente feito, tenho como cabível garantir ao indiciado o direito de responder ao presente feito em liberdade, já que, na hipótese de ser denunciado e condenado, cumprirá a pena pelo crime que lhe fora de imputado em liberdade, o que por si só justificaria a liberdade provisória”, explica a magistrada.

Além disso, colocou que a ordem pública estará resgardada com aplicação de outras medidas cautelares. Entre elas, estão a suspensão das carteiras de habilitação dos jovens e a participação deles num curso de reciclagem no trânsito.