Jovem de MT pode ter sido aliciada pelo Estado Islâmico
Fullbanner1


Macropel

Jovem de MT pode ter sido aliciada pelo Estado Islâmico

Fonte: da redação, com informações de G1
SHARE
Juliana desapareceu após supostamente embarcar para o Oriente Médio. Foto: Internet.

A Polícia Federal de Mato Grosso está considerando todas as linhas de investigação em relação ao desaparecimento de Juliana Cruz, moradora de Cuiabá, inclusive a de que a jovem tenha desaparecido por ter sido aliciada pelo grupo terrorista Estado Islâmico, também conhecido como Isis ou Daesh.

Juliana desapareceu no mês passado, em 14 de novembro de 2017, depois de realizar uma última postagem no Facebook em que revelou estar embarcando para Instambul, capital da Turquia. Segundo colegas de trabalho que conversaram com a reportagem do portal G1, a garota disse a colegas de trabalho que iria viajar para a Inglaterra e depois para a Síria.

De acordo com os familiares de Juliana, que registraram o boletim de ocorrência do desparecimento, a jovem também disse que iria para a Síria e chegou a confirmar que já havia chegado ao Oriente Médio. Após isso, não retornou para casa ou fez novo contato com os familiares.

A PF afirmou ao G1 que está em contato com a embaixada do Brasil na Síria e outros órgãos internacionais. A investigação está sob sigilo.

Juliana é servidora da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) e o computador usado pela funcionária foi entregue para análise da PF. Em seu Facebook, ela compartilhou pelo menos quatro vídeos sobre armas no mês de novembro. Em um deles, uma mulher aparece atirando com um fuzil. Na postagem, ela escreve: “Um amor: Armas”.

Casos semelhantes de suspeitas de aliciamento via internet já foram registrados em outros estados do país.

Veja a última publicação da jovem no Facebook:

Foto: Reprodução/Facebook.

Montreal