Jovem com maconha escondida na vagina passa mal e acaba presa
Supermoveis


Macropel

Jovem com maconha escondida na vagina passa mal e acaba presa

Fonte:
SHARE
Ilustração

A jovem, segundo a Polícia, estava levando meio quilo de maconha na vagina para dentro da penitenciária quando passou mal e acabou presa por crime de tráfico de drogas

Várzea Grande (MT)

Um flagrante bizarro foi registrado na Penitenciária Central do Estado. Uma jovem não deu sorte. Ela passou mal e foi descoberta com meio quilo de maconha dentro da vagina.

Lauriane da Silva Leite, de 19 anos, foi descoberta ao passar mal e ser atendida na emergência do Pronto-Socorro Municipal de Várzea Grande (PSM-VG). A Polícia suspeita que a jovem estava levando a droga para presos da Penitenciária Central do Estado (PCE).

Ao colocar o pacote com meio quilo de maconha na manhã deste domingo, 12, dentro da vagina, a jovem passou mal no início da tarde, quando saia de casa, possivelmente em direção à PCE.

Com dores fortes no abdome e no ventre, Lauriane teve que ser levada para o PSM-VG, onde os médicos constaram que ele havia sofrido um ferimento interno na vagina, tendo que passar por um procedimento cirúrgico de emergência.

Na bolsa da jovem, no entanto os policiais da Guarda Municipal de Várzea Grande encontraram outro pacote com maconha e uma carteirinha de visitante da Penitenciária Central do Estado.

Ao acordar, depois do rápido procedimento cirúrgico, a jovem alegou que a droga seria vendia em uma festinha que estava acontecendo neste domingo na Avenida Alzira Santana, em Várzea Grane (Grande Cuiabá).

Segundo ainda a Polícia descobriu, a jovem começou a passar mal depois que, para se livrar do pacote com a maconha que carregava na vagina, ela tentou retirar o pacote sozinha quando se feriu e começou a passar mal no meio da Rua do bairro em que mora em Várzea Grande.

A jovem Laureane, segundo a Polícia, acabou recebendo voz de prisão e acabou sendo autuada em flagrante por crime de tráfico de drogas e foi encaminhada a à Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto.

Fonte: 24 Horas News

Montreal