Jayme é pressionado a concorrer ao Governo do Estado
Fullbanner1



Jayme é pressionado a concorrer ao Governo do Estado

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Indefinição de Mauro faz crescer a possibilidade de Jayme concorrer ao Governo. Foto - Laércio Pato Rocco/EN

O ex-governador de Mato Grosso, Jayme Campos (DEM), que tem falado sobre seu projeto de pré-candidatura ao Senado Federal com a imprensa, já está sendo fortemente pressionado por muitos correligionários a ser ele o cabeça de chapa e disputar o Palácio Paiaguás na sucessão de Pedro Taques (PSDB), que por sua vez também tem um projeto de reeleição e diz contar com o apoio de Jayme. A possibilidade da volta de Campos, porém, ao posto de governador a partir de janeiro de 2019  é algo que agrada muito a várias lideranças do grupo que se desgrudou de Taques e não vem sentido firmeza no nome do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), para a função.

Apesar de já ter dito que o seu perfil é o Executivo e sinalizado que vai entrar na disputa contra o tucano, Mendes está irritando boa parte dos seus aliados pela indefinição que trata do assunto e por seus inesgotáveis problemas pessoais. Mesmo com alguns meses até as convenções e a definição final dos arcos de aliança, o mínimo norteamento sobre o mais provável projeto majoritário auxilia a militância a começar montar seu posicionamento e até os pré-candidatos a deputado de começar estruturar seus projetos pessoais. Agora, com a indefinição de Mauro em anunciar se vai ou não concorrer, muita gente do DEM, por exemplo, não tem certeza se critica ou apoia Taques.

Isto porque, segundo ventila-se nos bastidores, Jayme ainda segue falando com o atual governador, segundo deixa claro o próprio Taques em suas falas, e não seria impossível uma composição com o PSDB, estruturando a candidatura ao Senado para o DEM dentro da chapa situacionista. A possibilidade, porém, para o próprio irmão de Jayme, Júlio Campos, bem como a outros membros do partido, é totalmente desaprovada. Daí então, muito se tem trabalho internamente a articulação para que em um eventual e possível “não” de Mendes o nome Jayme seja automaticamente alçado a condição de pré-candidato ao Governo do Estado, ainda que exista a possibilidade de Otaviano Pivetta colocar seu nome ao grupo pelo PDT.

O próprio Jayme já vem deixando no ar a possibilidade nas entrelinhas de suas últimas falas. “Eu estou pronto. O partido vai decidir em que posição eu jogarei. Estou pronto e não tenho dificuldades. Política é como nuvem. O desejo do partido é ter candidatura própria e estamos careca de saber”, pontuou, em entrevista recente à rádio Capital FM. Sendo assim, com Mauro ou sem Mauro, Mato Grosso realmente caminha para ter três fortes chapas disputando a chefia do Executivo.