Buscar
PÁgina Inicial :: Notícias :: Cotidiano
02/09/2013 06:44:02 - Fonte: http://economia.ig.com.br/
Metade dos clientes de operadoras punidas tem planos de saúde ruins

Foto: http://economia.ig.com.br/

Quase metade dos clientes de 22 operadoras punidas por excesso de reclamações tem planos de saúde que, de tão ruins, estão proibidos temporariamente de serem vendidos para novos clientes. O levantamento foi feito pelo iG a partir dos dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

A relação significa que, dos 9,5 milhões de clientes que essas operadoras possuem atualmente, 4,2 milhões – ou 45% – têm planos que foram alvo de excesso de reclamações por negarem indevidamente um tratamento ou demorarem demais para marcar uma consulta, por exemplo.

Apesar do quadro delicado, as operadoras podem continuar a captar clientes por meio de outros planos, ou lançar novos se assim entenderem.

“A ANS suspende os produtos, mas não suspende as operadoras, e elas continuam a vender outros planos. Geralmente, lançam produtos novos parecidos [ aos que foram bloqueados ]", diz Mario Scheffer, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e integrante do conselho diretor do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).

Das grandes às pequenas

Na última sexta-feira (30), após uma batalha jurídica, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) conseguiu interditar a venda de 246 planos, pertencentes a 26 operadoras. Dessas, 22 são abertas ao público em geral – as outras 4 são fechadas para integrantes de entidades de classe – e, juntas, elas detêm 222 planos bloqueados.

A lista inclui gigantes como a Amil, a maior operadora do País. O grupo é responsável por 126 planos suspensos por excesso de reclamação. Eles foram vendidos por meio de três marcas do grupo (Amico, Amil e Excelsior) a 2,9 milhões de pessoas, ou 48% da carteira de clientes dessas três marcas, em média.

Outra das grandes, a SulAmérica Companhia de Seguro Saúde vendeu os planos agora suspensos a 501,5 mil pessoas, ou 27% do 1,8 milhão de beneficiários desse braço do grupo.

Entre as empresas de médio porte (mais de 20 mil e até 100 mil beneficiários), a Ecole Serviços Médicos teve suspensos os dois planos que respondem por 100% de seus 51 mil beneficiários.

Mas, na média, a situação é pior entre as pequenas (até 20 mil beneficiários). E dessas, o desempenho mais grave é da Sociedade Portuguesa de Beneficência de Santos (SP), uma entidade filantrópica em que 79% dos clientes estão em planos ruins.

Em três casos (Excelsior Med, Unimed das Estâncias Paulistas e Centro Trasmontano de São Paulo), as operadoras já vinham de uma punição anterior e tiveram ampliada a lista de produtos punidos.

Todas as operadoras poderão voltar a vender os produtos daqui a três meses, se a ANS entender que elas já resolveram os problemas.

Libera, pune

A proibição temporária de vendas é um dos instrumentos da ANS para punir as operadoras. É também, uma das principais vitrines do trabalho de fiscalização da agência, acusada de ser leniente com o mercado que deveria regular. Desde 2011, quando o programa começou, 73 operadoras foram penalizadas – há 1,3 mil com beneficiários no País.

Para Scheffer, da USP, o mecanismo é pouco eficaz, uma vez que os planos bloqueados tiveram a comercialização liberada pela própria ANS. Ou seja, antes de terem as vendas suspensas, esses 222 planos ruins permitiram que as operadoras captassem 4,2 milhões de clientes – ou 6% do mercado de saúde suplementar do País.

"[ A proibição temporária de vendas ] é a agência correndo atrás de um prejuízo que ela causou [ ao permitir que as operadoras continuassem a captar clientes sem ter estrutura ]. Ela não deveria autorizar planos que não têm rede de atendimento suficiente. Esses planos foram autorizados pela própria ANS", diz o professor.

Além disso, o programa está sob questionamento da Justiça. Em 20 de agosto, às vésperas da suspensão entrar em vigor, a Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde) – entidade que reúne os grandes grupos do setor – conseguiu uma liminar (decisão provisória) que suspendeu, temporariamente, a punição às suas afiliadas.

O argumento, aceito pelo desembargador Aluísio Mendes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), é que as empresas não tiveram respeitado o seu direito à defesa. A liminar foi derrubada após recurso da ANS, mas o processo continua em tramitação, e outras operadoras já se preparam para entrar com ações semelhantes.

A ANS informa que tem diferentes linhas de ação para "a indução de um comportamento mais adequado da operadora em relação aos seus beneficiários", e ressalta que, além da suspensão de 246 planos, houve a reativação de outros 125 que estavam bloqueados mas tiveram os problemas resolvidos.

A agência alega ainda que houve a ampliação dos critérios de monitoramento (antes, só reclamações de atraso no atendimento eram levadas em conta para as suspensões) e que o número de queixas aumentou.

"Percebemos especialmente neste último ciclo de monitoramento da garantia de atendimento um aumento considerável no número de reclamações dos consumidores. Chegaram a 17.417 nos três meses monitorados neste 6º ciclo [19/3 a 18/6/2013] – é um número seis vezes maior do que no 1º ciclo [19/12/2011 a 18/3/2012]", informa a ANS.

Operadoras vão procurar a Justiça

A SulAmérica ressalta que, embora o programa de suspensões exista desde 2011, essa é a primeira vez que a empresa é punida, e que os 13 planos representam 1,76% do portfólio da companhia. A Assefaz (dos servidores do Ministério da Fazenda) diz que trabalha para melhorar o atendimento e que questionará na Justiça, junto com outras operadoras, a suspensão determinada pela ANS.

A Viva Saúde argumenta que só 16 reclamações contra a operadora foram transformadas em processo pela ANS e que tem outros 32 produtos livres para serem comercializados.

A Geap alega que as suspensões decorreram de queixas feitas antes do início do processo de recuperação a que está submetida. A fundação informou ainda que caiu do quinto para o novo lugar em número de reclamações.

A Unimed Sergipe informa que as dificuldades de agendamento decorrem da falta de médicos no Estado, e que aguarda notificação oficial da ANS para tomar medidas legais e administrativas contra o bloqueio.

Em nota, a Sociedade Portuguesa de Beneficência explica que já não comercializa os três planos suspensos, em razão de transferência da carteira para outra operadora.

A Ecole acusa a ANS de estar “equivocada e desprovida de lastro” para suspender seus dois planos e diz que tomará as medidas cabíveis.

A Green Line diz estar comprometida com o planejamento das ações, e destaca que teve 55 planos reativados sem ter nenhum novo produto suspenso. O mesmo argumento usa a Universal: dos três planos que estavam suspensos, dois foram reativados.

Amil, Fundação Saúde Itaú, Beneplan, Promédica, Sosaúde, São Cristóvão, Senersul, Prevent Sênior, Prontomed, SMS, G & M Assistência Médica, Saúde Medicol, Unimed Estâncias Paulistas e Somel não responderam aos contatos. *Colaborou Marcela Leite



       
       
       
       
       
       
       
         

 
25/09/2014 - DEMOCRACIA
Sindicatos patronais do setor industrial de Rondonópolis e Região Sul realizam eleições
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
22/07/2014 - SERVIÇOS PÚBLICOS
Prefeitura Rondonópolis oferece diversos serviços à população
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
02/09/2013 - planos
Metade dos clientes de operadoras punidas tem planos de saúde ruins
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
04/07/2013 -
Capital do ciclismo, Amsterdã enfrenta falta de vagas para bicicletas
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
03/07/2013 - santa maria
Última ferida da boate Kiss internada recebe alta em Porto Alegre
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
03/07/2013 -
'Paguei e queria levar', diz professor que quebrou itens de loja com martelo
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
13/06/2013 - Sucesso
Rotary Rondon é premiado em Conferência Distrital
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
28/05/2013 - Fiscalização
Procon cobra das agências bancárias de Rondonópolis cumprimento das leis
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
14/04/2013 - Melhores do ano
CDL encerra nos próximos dias a pesquisa do Mérito Lojista 2012
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
13/04/2013 - Trânsito reforçado
Prefeito estuda para implantar lombadas eletrônicas em Rondonópolis
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Coluna Construtecne por José Olavo Pio
Coluna Contradictio por Eduardo Guerini
Coluna Do Poeta por George Ribeiro
Coluna Cozinhando com Luis Lima por Luis Lima
Coluna Segurança do Trabalho por Cláudio Hessel
Coluna Direito e Justiça por Highor Djamiler Mendes Santos
Coluna Direto ao Direito por Claire Ines
Coluna Meio Ambiente por Sílvia Almeida
Coluna Beleza Pura por Kamilla Chaves Maia
Coluna Com a Palavra o Criminalista por Dr. Francisco Mello dos Santos
Coluna Educação em Debate por Maria Aparecida
A Braquiterapia permite ao paciente alta em 24 hs, e após um ou dois dias o retorno às atividades. Recomendação de 1-2 semanas para retorno às atividades sexuais, que são menos afe...
Eu vou morar lá porque a Presidente da República será a DILMA, em quem eu NÃO votei, mas que foi escolhida pela maioria do povo brasileiro...