Indústrias de Cuiabá e Rondonópolis aprendem a lidar com as NRs que...
Fullbanner1


Macropel

Indústrias de Cuiabá e Rondonópolis aprendem a lidar com as NRs que mais impactam o setor em MT

Fonte:
SHARE

72 bilhões de reais é o valor gasto anualmente pelo governo com os custos relativos à Segurança e Saúde no Trabalho (SST) nas áreas da previdência social, Sistema Único de Saúde, empresas, com o trabalhador e a família. Para compreender mais sobre a importância do tema, empresários industriais de diversos segmentos das cidades de Rondonópolis e Cuiabá participaram do curso ‘Como Lidar com as Normas Regulamentadoras (NRs) que mais impactam as indústrias?’. A capacitação foi promovida gratuitamente pela Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt) e Sindicatos Patronais.

Atualmente, há 35 NRs vigentes que orientam as empresas quanto aos procedimentos obrigatórios para assegurar a segurança e a saúde dos empregados, regulamentando os artigos 154 a 201 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). “A gente precisa conversar mais e agir no ambiente coletivo. Eu vejo por trás de cada industrial um grupo de trabalhadores, e por trás destes trabalhadores tem muitas famílias. A sobrevivência da indústria é a subsistência de cada um de nós. Não é Lei de Murphy, ou para e analisa os riscos do processo, ou vai parar para analisar um passivo, o acidente”, ressaltou o consultor da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Hércules Dias, que ministrou o curso nas duas cidades.

Para o gerente de recursos humanos de uma indústria sucroenergética, Roberto Romas, que participou do curso em Cuiabá no último dia 07/07, a capacitação contribuiu não só para reforçar o conhecimento, mas também para fortalecer a necessidade do agir coletivo. “É uma necessidade que a gente tem de ter essa visão coletiva para estar munidos não só para atender as normas, mas também para contestar o que impacta a indústria. Este é um canal que estamos tendo conhecimento para discutir o assunto e propor ações práticas. O curso possibilitou conscientizar de forma mais assertiva os gestores e funcionários”, afirmou.

Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego – Secretaria de Inspeção do Trabalho (TEM/SIT), entre 1978 e 2014 ocorreram 226 alterações nas normas. Deste total, 56 foram realizadas entre os anos de 2011 e 2014. Esse aumento corrente de alterações é o que fez a técnica de segurança do trabalho de uma construtora, Neusa Maria da Silva, participar nesta quinta-feira (09/07) do curso, em Rondonópolis.

“As NRs mudam constantemente e isso nos exige ter um cuidado frequente para nos manter bem informados. Vim com interesse, em particular, de conhecer mais profundamente as questões que envolvem a NR 35 por tratar de construção vertical. A construtora que trabalho é nova, antes atuava apenas no mercado imobiliário, e isso reforça ainda mais a necessidade de que nós, funcionários, estejamos bem informados. E ter a oportunidade de fazer um curso como este de graça aqui em Rondonópolis, com esta qualidade e conduzida por um profissional que tem muito conhecimento e experiência nos deixa mais seguros”, avaliou Neusa.

O empresário do segmento metalmecânico, Paulo Giovane de Oliveira, buscou o curso para ter mais informações referentes à NR 12 – Máquina e Equipamento, que tem por objetivo definir referências técnicas, princípios fundamentais e medidas de proteção para garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores. “E foi muito bom vir participar porque a NR está provocando grandes mudanças nas formas de trabalho, e o curso abriu a mente sobre a importância dela e de outras normas que devem ser aplicadas dentro das indústrias. Às vezes a gente não se atenta aos mínimos detalhes, e não buscamos aprofundar as exigências das normas. E é aí que podemos errar em algo”, disse.

Das 35, 10 NRs impactam mais a indústria. São elas: NR-5 – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa); NR-6 – Equipamentos de Proteção Individual (EPI); NR-7 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO); NR-9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA); NR-12 – Máquinas e Equipamentos; NR-15 – Atividades e Operações Insalubres; NR-16 – Atividades e Operações Perigosas; NR-18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção; NR-24 – Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho; e a NR-35m – Trabalho em Altura.

“Estamos com uma equipe nova na área segurança do trabalho, e as informações do curso vão ajudar a melhorar a gestão desse setor na indústria e, também, a agir preventivamente já que isso é alvo do Ministério do Trabalho. Tudo o que foi repassado aqui será válido, o material foi muito bem elaborado e o professor fez com que a turma interagisse, o que foi muito bom porque uma empresa complementou a visão da outra”, avaliou a coordenadora administrativa de uma indústria de cerâmica de Rondonópolis, Monisa Guido.

A capacitação é uma das ações do Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA), iniciativa da CNI, desenvolvida por meio do projeto ‘Associa Indústria’, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Em Rondonópolis o curso contou com a parceria do Sindicato das Indústrias da Alimentação da Região Sul de Mato Grosso (Siar-Sul/MT), Sindicato Intermunicipal das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico da Região Sul de Mato Grosso (Sindimec-Sul/MT) e do Sindicato das Indústrias da Construção da Região Sul de Mato Grosso (Sinduscon-Sul/MT).

Montreal