Imagens mostram momento em que travesti é atropelada após homem pedir programa...
Fullbanner1



Imagens mostram momento em que travesti é atropelada após homem pedir programa em MT; veja vídeo

Natalia Pimentel estava com uma amiga num ponto de prostituição em Várzea Grande. O caso foi registrado na Polícia Militar como homicídio doloso.

Fonte: G1
SHARE
Imagens mostram momento em que travesti é atropelada após homem pedir programa em MT (Foto: Reprodução/TVCA)

As câmeras do circuito interno de segurança de um estabelecimento em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, filmaram o momento em que a travesti Natalia Pimentel, de 22 anos, foi atropelada. A vítima estava em um ponto de prostituição e teria sido atropelada, na segunda-feira (24), depois que uma amiga se negou a fazer um programa com o condutor do veículo.

Um suspeito de ter cometido o crime foi ouvido nessa quarta-feira (26), mas liberado por falta de provas. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Nas imagens, Natalia e amiga aparecem caminhando na rua, quando param e hesitam. Em seguida, é possível ver o carro avançando e atropelando a vítima. Ela é arremessada e jogada no chão. Depois disso a amiga corre para tentar ajudar.

Natalia foi levada para o Pronto Socorro de Várzea Grande pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A vítima teve morte cerebral decretada por médicos na terça-feira (25). Antes dos aparelhos serem desligados, na quarta-feira (26), o coração de Natalia também parou. O corpo dela foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

Atropelamento

À polícia, a amiga de Natalia contou que as duas estavam trabalhando quando um homem se aproximou em um carro. A intenção dele, segundo o relato, era pagar R$ 17 pelo programa. Ela, entretanto, se negou e foi com Natalia para o outro lado da rua.

A amiga contou que subiu na calçada, mas Natalia teria ficado na rua. Segundo a testemunha, o homem acelerou o carro e, intencionalmente, atropelou a vítima.

“A testemunha disse que entrou no carro do suspeito para negociar o programa. Após um desentendimento ela teria dado um soco nele e deixado o veículo”, afirmou ao G1 a delegada Juliana Palhares, da Polícia Civil.

Natalia Pimentel, como era conhecida, foi atropelada na segunda-feira (24) (Foto: Facebook/Reprodução)
Natalia Pimentel, como era conhecida, foi atropelada na segunda-feira (24) (Foto: Facebook/Reprodução)

O suspeito ouvido pela polícia foi identificado pela amiga da vítima, que presenciou o crime e disse ter decorado a placa do carro. Ela procurou a polícia depois que viu o carro entrando em uma oficina mecânica após o atropelamento.

Os dados, porém, não correspondiam às características apontadas pela testemunha. Os policiais, então, inverteram as combinações da placa e identificaram um carro com base nos detalhes apontados pela testemunha.

O dono do veículo foi localizado e conduzido até uma delegacia. Após o depoimento, por falta de provas, ele foi liberado.

“O carro tinha algumas avarias, mas ele negou que tenha sido causado pelo atropelamento. O veículo deve passar por perícia para atestar as afirmações. O suspeito nega envolvimento e disse que tem como provar que não estava no local do crime”, afirmou a delegada.

Montreal