Idoso é atacado por dois cachorros pitbulls durante o caminho do trabalho
Fullbanner1


Macropel

Idoso é atacado por dois cachorros pitbulls durante o caminho do trabalho

Fonte: Da Redação com Olhar Direto
SHARE

Um idoso de 61 anos, José Reinaldo Farias, 61 anos, seguia para mais um dia de trabalho, por volta das 06h30, quando quase perde a vida ao ser atacado por dois cães pitbulls, que escaparam de uma residência. Pessoas próximas ao local conseguiram impedir a morte do idoso, já que os animais miravam a garganta da vítima.

“Eu estava indo para o trabalho, uniformizado e tinha um pessoal da Energisa perto de casa. Eu passei por eles, desejei bom dia e até brinquei, dizendo que tinham começado cedo naquele dia. Um pouco mais pra frente, um senhor abriu o portão da residência dele, os cachorros vieram com tudo, ele não conseguiu segurar e eles correram para cima de mim”, disse o idoso.

José ainda conta que um deles ‘grudou’ em sua perna com os dentes e começou a balançar: “O outro veio direto querendo pegar a minha garganta. Mordeu perna, braço e no meu rosto eu vou ter que fazer um enxerto. Na hora, o dono tentou segurar um dos cachorros e tentou desgrudá-lo da minha perna, enquanto eu tentava segurar o outro”.

“Eu gritei por socorro e os caras da Energisa, mesmo com medo, vieram me ajudar. Bateram três vezes no cachorro até que ele me soltasse. Ele buscava a minha garganta o tempo todo. Se estes homens não estivessem ali, eu com toda certeza teria morrido e não estava falando com vocês hoje”, relembrou a vítima.

Ainda conforme o idoso, assim que o dono dos cachorros os colocou para dentro, fechou a porta da residência e não deu qualquer tipo de auxílio: “Ontem a noite a filha veio até aqui, disse que os pitbulls são de uma irmã, que mora em Lucas do Rio Verde. Mas isso não pode acontecer. Eu não fiquei cego porque estava usando óculos e ele me protegeu”.

Segundo a vítima, a própria filha do dono dos animais confirmou que eles atacaram outras duas pessoas. A primeira teria sido uma criança e a outra um rapaz que havia ido entregar compras na casa: “Perguntei se eles iam esperar alguém morrer para tomar providências. Eu dei parte na polícia e entrei com uma ação, teremos uma audiência no começo de dezembro”.  Ele relatou ainda a  preocupação de que os animais possam atacar outras pessoas.

Montreal