Hospital de Brasília recebe mais de R$ 13 milhões de emendas de...
show

Fullbanner1


Hospital de Brasília recebe mais de R$ 13 milhões de emendas de MT

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Hospital de Brasília é o principal da Rede Sarah, que está em mais seis capitais brasileiras. Foto - Divulgação

Os atuais deputados federais Nilson Leitão (PSDB), Ezequiel Fonseca (PP), Adilton Sachetti (PRB), Carlos Bezerra (MDB), Victório Galli (PSL), Ságuas Moraes (PT), além de senadores e ex-parlamentares como Blairo Maggi (PP), Cidinho Santos (PR), Eliene Lima (PR), os irmãos Júlio e Jayme Campos (DEM), Wellington Fagundes (PR), Serys Slhessarenko (PRB), dentre outros, foram autores de diversas indicações de emendas, nos últimos 12 anos, para a Rede Sarah de Hospitais, que tem sua unidade mais famosa em Brasília, no Distrito Federal. Ao todo, foram R$ 13,6 milhões em emendas destinadas.

Além da capital federal, outros hospitais da rede especializada em vítimas de politraumatismos e problemas locomotores, objetivando sua reabilitação, estão em Belém – PA, Belo Horizonte – MG, Fortaleza – CE, Macapá – AP, Salvador – BA e São Luis – MA. O ex-deputado federal, Pedro Henry, é o “campeão” de indicações, sendo que só dele partiram, de 2009 a 2013, R$ 1,8 milhão para a rede Sarah. O atual senador, Wellington Fagundes (PR), é o segundo que mais atendeu o hospital de Brasília com um total de R$ 1,6 milhão em emendas, enquanto o atual deputado federal, Nilson Leitão (PSDB), foi o responsável por enviar R$ 1,250 milhão nos últimos anos.

Os veteranos Carlos Bezerra (MDB), Jayme Campos (DEM) e Júlio Campos (DEM) mandaram, juntos, R$ 1,750 milhão para o hospital Sarah, sendo o primeiro o responsável pela maior fatia dos envios, exatos R$ 800 mil. De 2016 para cá, os deputados federais Ezequiel Fonseca (PP) e Adilton Sachetti (PRB) destacaram-se no atendimento à unidade de saúde com matriz na capital federal. Fonseca enviou emenda de R$ 242 mil, em 2016, e mais R$ 600 mil divididos entre 2017 e 2018. Adilton, por sua vez, atendeu o Sarah com R$ 300 mil, no ano passado, e igual valor no ano corrente.

Histórico

A prática de envio de emendas parlamentares a destinos “fora” de Mato Grosso não é algo novo. O ex-senador, Gilberto Goellner, por exemplo, mandou R$ 150 mil para um programa da Marinha Brasileira na Antártida, enquanto a ex-senadora Serys atendeu a União Nacional dos Estudantes – UNE com R$ 100 mil, em 2008, instituição que também recebeu, mais recentemente, R$ 170 mil de Valtenir Pereira para o fomento da arte e cultura. O mesmo Valtenir, disponibilizou recursos para o “julgamento de causas” na Justiça Federal, enquanto Pedro Taques, enquanto senador, indicou emenda para modernização da Marinha Brasileira. Já Júlio Campos e Blairo Maggi decidiram destinar recursos para a Assistência Médica e Odontológica a militares e seus dependentes, sendo que o segundo incluiu servidores civis. O Hospital de Câncer de Barretos também é outro destino conhecido não só das emendas mato-grossenses, mas de vários outros estados.