Grupo que promovia assaltos violentos e aterrorizava população rural é preso em...
Supermoveis



Grupo que promovia assaltos violentos e aterrorizava população rural é preso em Ponte Nova, Minas Gerais

Fonte: Por Estado de Minas
SHARE

Um jovem acima de qualquer suspeita. É assim que a polícia define Abner Lacerda Diniz Vieira, de 23 anos, preso sob a acusação de chefiar uma quadrilha que estava aterrorizando moradores da Zona Rural de Ponte Nova e municípios vizinhos na Zona da Mata Mineira. Outros oito integrantes do grupo foram presos com base em uma investigação que já se arrastava há quase um ano. “Iríamos esperar mais para deflagrar a operação, mas as ações da quadrilha estavam cada vez mais violentas e decidimos não adiar mais as prisões”, revela o inspetor Antero Marcos, da Delegacia Regional de Ponte Nova.

Segundo o investigador, Abner, o líder do grupo criminoso, é de uma família tradicional da cidade, evangélica, e o jovem se formou recentemente em Direito. Ele trabalhava no Fórum de Ponte Nova, mas paralelamente mantinha a atividade criminosa sem levantar suspeitas. “De dentro do Fórum ele já articulava contatos planejando as ações e tão logo saía do trabalho colocava em prática os plano junto com os comparsas”, afirma o inspetor Antero.

O alvo da quadrilha eram propriedades em áreas rurais de Ponte Nova, Oratórios e Jequeri. Segundo a polícia, eles usavam de muita violência para invadir as casas e roubar o que podiam, inclusive gado. O inspetor Antero destaque que em um dos roubos, os jovens criminosos tentaram abusar sexualmente de uma das vítimas e em outra, na Zona Rural de Jequeri, atearam fogo na casa de uma idosa de 82 anos, que conseguiu fugir e se esconder na mata quando os assaltantes chegaram na propriedade. “O terror que eles provocavam era tão grande que muitas famílias, com medo de serem atacadas, estavam pernoitando na mata perto de suas casas”, revela o investigador.

A quadrilha foi desmantelada após a prisão de dois irmãos que atuavam com Abner na elaboração e execução dos assaltos. “Eles foram presos com parte dos produtos roubados e, a partir daí, conseguimos identificar todos os outros integrantes do grupo”, destaca Antero. Márcio Eli Martins, 36 anos, e Luiz Antônio Martins, 38, foram presos em 18 de janeiro e reconhecidos por algumas das vítimas na delegacia.

Com a primeira dupla presa foram apreendidas três armas de calibres distintos e vários produtos roubados. Durante o cumprimento dos mandados de prisão dos outros sete integrantes do grupo, na operação deflagrada no último sábado, mais um rifle calibre 22 e farta munição de calibres diversos foram apreendidos.

Além de Abner, estão presos Sidmar Salgado Milagre, de 28 anos, Marcos dos Santos Silva, de 20, Marcos Paulo Gonçalves, 24, Dionisio Germânio, 22 e Geraldo Salgueiro de Lacerda, de 38, que é tio do líder do grupo. Segundo Antero, Geraldo e Dionísio não tinham participação direta no grupo, pois não participação dos assaltos. A função deles era receptar e revender as cabeças de gado que eram subtraídas das propriedades rurais.

Os nove foram levados para o Presídio de Ponte Nova, presos por meio de um mandado de prisão temporária. “Ainda hoje vamos solicitar à Justiça que a prisão deles seja convertida para a preventiva, uma vez que são muitas as provas contra o grupo e a liberdade deles é uma ameaça à população”, ressalta o inspetor Antero.

Fonte: Estado de Minas

SAIBA MAIS:

– A CNA está coletando dados para monitorar e propor melhorias na segurança das propriedades rurais brasileiras. Se você sofreu algum tipo de ameaça na sua propriedade rural, denuncie:http://www.cnabrasil.org.br/servicos-para-produtor/denuncie