Grupo é preso por estelionato ao tentar aplicar golpe de R$ 8...
Fullbanner1


Macropel

Grupo é preso por estelionato ao tentar aplicar golpe de R$ 8 mil, usando indevidamente nome de Fazenda

Fonte:
SHARE
Suspeitos de Estelionato presos pela Polícia

Por Ailton Lima

A Polícia Militar conseguiu desmantelar e prender quatro pessoas na tarde desta terça-feira (30), por volta as 16h30, após serem acusados pela prática do crime de estelionato, estimado em R$ 8 mil.

Segundo a vítima, representante da empresa ‘Motocar’, uma pessoa teria ligado na empesa falando em nome da Fazenda Girassol e encomendado cerca de R$ 8 mil em peças de motos, como jogos de pneus, peças e sistemas de freio, câmaras de ar, Aros de roda, e raios, entre outras.

Ainda conforme essa pessoa, ainda não identificada, o valor da compra deveria ser faturado em nome da fazenda e que algumas pessoas passariam no local para pegar.

Notas fiscais e relação de produtos faturados
Notas fiscais e relação de produtos faturados

Por volta das 16h, quatro pessoas chegam na loja, sendo um casal ocupando um VW Gol branco, e dois indivíduos ocupando uma caminhonete GM velha – modelo D-10 de cor bege.

Ao ver o estado de conservação da picape, o comerciante estranhou e ligou na Fazenda Girassol, onde acabou descobrindo que nenhuma compra de peças de moto, havia sido solicitada ou autorizada em nome da referida Fazenda, e muito menos que alguém iria pegar o material.

Nesse momento o comerciante e os funcionários seguraram a pessoa de Alex Neves Balesteiros, de 21 anos de idade, impedindo que o mesmo fugisse. Os dois comparsas, Jhonata Paulino Amâncio da Silva, de 20 anos e Flávio de Souza Silva, de 18, fugiram na D-10.

A suspeita Maylme Glicéria Santos de Oliveira, de 22 anos, conseguiu sair da loja e fugiu a pé.

Segundo a PM, com a chegada da Guarnição, o suspeito Alex Neves, acabou colaborando e repassando os nomes e endereços do demais comparsas que foram localizados e presos em suas respectivas residências.

Ao serem presos, os quatro foram reconhecidos pela vítima e demais funcionários da Motocar.

Por conta da situação de flagrante delito, o quarteto foi entregue ao delegado plantonista que autuou o grupo, por estelionato e formação de quadrilha.

A polícia acredita que uma quinta pessoa, ainda não identificada também possa fazer parte do grupo.

Montreal