Greve virou patifaria…
Adventista



Greve virou patifaria…

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Cidadão em cima de tanque. Foto: Redes Sociais

O Governo de Michel Temer (MDB) arreganhou as pernas até muito mais que dava, cedeu e atendeu os interesses do setor de transportes, consecutivamente dos caminhoneiros, muito mais que a capacidade orçamentária atual do país poderia comportar, mas mesmo assim muitos insistem em permanecer nas rodovias com boa parte dos bens essenciais dos cidadãos como alimentos e combustíveis. A verdade então é uma só: não se trata mais de um movimento político, mas politiqueiro.

Passeata de partidos de esquerda em apoio ao que acontece no país ocorre em cidades importantes como São Paulo, reiterando pautas como a revogação da Reforma Trabalhista, que modernizou a relação patrão e empregado, flexibilizando horários e permitindo a acomodação legal de realidades distintas. Em vários outros locais do Brasil, “caminhoneiros” ou não se sabe mais se militantes infiltrados, pedem em coro o voto impresso, como se isso fosse pauta prioritária de quem está na estrada arriscando suas vidas todo dia.

O mais grave, porém, fica por conta daqueles que querem o caos, que buscam a lógica do “quanto pior, melhor” e identificam no momento a oportunidade propícia para incentivar as forças armadas a descumprirem as ordens do presidente para liberar as pistas, chamando o Exército Brasileiro para dar um golpe e assumir o poder. Há vídeo de um batalhão de civis “se apresentando” ao serviço do tal golpe, há um outro cidadão discursando sobre um tanque de guerra e várias outras insanidades.

Ditadura é ditadura, não tem a boa e a ruim. A sandice que faz Nicolás Maduro na Venezuela, com o hipócrita discurso do bolivarianismo, é algo do mais alto nível de imbecilidade que uma sociedade pode ser exposta. O país vizinho está sem comida, sem condições de sobrevivência, pelo menos aos que não sugam as riquezas do país por estarem perto do Poder e isso em nada diferenciaria caso a elite militar atual assumisse o controle geral por aqui. A comunidade internacional não aceitaria algo deste tipo, o Brasil seria plenamente isolado e morreria as mínguas em um estado de calamidade que dizimaria sobretudo a classe mais baixa.

Que a esquerda que agora se aproveita da situação para mentir que a queda de Dilma que causou o aumento do combustível, bem como os apoiadores de Jair Bolsonaro que usam do momento para fazer discurso político, ‘tomem vergonha na cara’ e parem de oportunismo, acuando caminhoneiros. Maior parte dos trabalhadores que ainda permanecem na pista estão dispostos a voltar ao trabalho, já viram que tudo perdeu o foco, mas estão acuados por radicais, sobretudo intervencionistas, que enxergam na situação atual uma oportunidade única de por em prática suas maluquices.

Se grande parte da classe política não respeita o Brasil, não é possível que boa parte da população comece a fazer o mesmo. Caso o desabastecimento realmente fosse implicar em algo positivo, seria plausível o esforço coletivo, mas não irá e é notável para qualquer criança que a coisa já descambou para outro lado. Quem tem pretensão eleitoral, que se resolva nas urnas. Quanto a aqueles que pedem intervenção militar, busquem ajuda o quanto antes porque há tratamento, o país tem ótimos psiquiatras.