Grandiosidade de obras do PAM chama atenção do Público
Fullbanner1

Fullbanner2


Grandiosidade de obras do PAM chama atenção do Público

Fonte: Assessoria
SHARE

A grandiosidade da obras expostas no Panorama das Artes Mato-grossenses – PAM 2017 de Rondonópolis, chamou atenção do público que foi até ao Espaço Cultural Casario para abertura, na noite desta terça-feira (22, para abertura do evento, que tem como tema “Re-descoberta”.

“São obras muito lindas, não imaginava que tão grande assim essa exposição”, disse o servidor Odair Ribeiro (42), enquanto apreciava, ao lado da esposa, Viviane Ribeiro (38), as obras expostas e aguardava a vernissage preparada para abrilhantar a noite de abertura do evento. “Estou encantada, são muito bonitas”.

Nem mesmo a chuva que caiu, por cerca de 30 minutos, apagou o brilho da vernissage, marcando em grande estilo a abertura do evento que acontece até sábado (26), que oferece, além da beleza das artes expostas, uma vasta programação cultural, como apresentações de dança, música e teatro.

Na vernissage, o público pode se deliciar, quase às margens do Rio Vermelho, com a apresentação do Grupo Camerata, com o maestro Raul Fortes. Também, foi lançado o livro “Asas de Ícaro”, de Ivens Cuiabano Scaff.

Por conta da chuva, a tão aguardada performance do renomado artista plástico Adir Sodré, que filho de Rondonópolis, não pode ser realizada. Ela será feita agora no fechamento do evento, programado para o próximo sábado, às 18h.

Esta é primeira vez do panorama das artes na região sudeste do Estado. Realizado pela Associação Cuiabana de Belas Artes – Acuba, a mostra reúne obras de sete artistas locais e homenageia o artista plástico Wander Mello, que completa 39 anos de carreira.

Além de Mello, foram selecionados para exposição os artistas plásticos: Tânia Pardo, Marlene Trouva, Valcides Arantes, Djalma Santos, Sebastião Veloz e Mando Nunes.

O crítico de arte, o professor doutor da Universidade Federal de Mato Grosso, Laudenir Gonçalves, na sua fala na cerimônia de abertura, ressaltou a importância da realização do PAM. Segundo ele, irá colocar os artistas do interior em evidencia, aproximando-os do público.

“O PAM faz um mapeamento dos artistas. Valoriza o artista do interior de Mato Grosso, além de democratizar o acesso à cultura, o que é extremamente importante na formação de um público receptivo das artes”, afirmou o curador.

Além das obras dos artistas locais, outras noves estão expostas, sendo cinco de Chapada dos Guimarães e quatro de Várzea de Grande, cidades que já receberam a mostra antes. “A proposta do PAM é que a medida que o projeto avança, as obras que foram apresentadas nas cidades anteriores compõem também a mostra do local”, observou.

Depois de Rondonópolis, segue à região Araguaia, Barra do Garças. Em seguida, passa pela região norte: Sorriso e Alta Floresta e encerrando com uma grande exposição na capital, Cuiabá. O encerramento será em Cuiabá, com uma grande exposição com as obras produzidas pelos artistas das cidades por onde projeto passou.

Homenageado pelo PAM, Wander Mello agradeceu o reconhecimento da organização e defendeu que exposições como estas ocorram com mais frequência para estimular tanto os artistas da cidade como educar o olhar das pessoas para as artes visuais. “Dessa forma, estaremos educando as novas gerações e estimulando o gosto pela arte para que, quando forem adultos, transmitam e perpetuem o conhecimento e a cultura adquiridos”.

O secretário municipal de Cultura, Humberto Campos, disse na abertura do evento que é oportunidade para os artistas e à população rondonopolitana. “Trata-se de mais uma importante ação de valorização das artes de Rondonópolis e Mato Grosso”.

Visitações

Ao longo desta quarta-feira (23), a movimentação foi intensa no Casario. Começou a visitação dos alunos de escolas públicas da cidade. Cerca de mil crianças passou por lá, sendo 500 de manhã e 500 no período vespertino.

“Além de conhecer as obras expostas, os alunos participaram de uma atividade supervisionada, onde fizeram uma releitura das obras, usando giz de cera e papel sulfite. Além de conhecer um pouco sobre a história do Casario, local que é o berço da cidade e um patrimônio histórico e cultural”, explicou Laudenir.

O PAM Rondonópolis conta com o apoio do governo do Estado, por meio da secretaria estadual de Cultura, Assembleia Legislativa de Mato Grosso, UFMT e Prefeitura local.

Montreal