Governo de MT tenta empréstimo de R$ 600 milhões para retomar VLT
Adventista



Governo de MT tenta empréstimo de R$ 600 milhões para retomar VLT

Estado diz que esse é o valor necessário para terminar a obra. VLT começou a ser construído em 2012 e já consumiu R$ 1 bilhão.

Fonte: G1 MT
SHARE

O governo de Mato Grosso tenta um empréstimo de R$ 600 milhões na Caixa Econômica Federal para retomar a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos na Grande Cuiabá, que foi iniciada em 2012 e está parada desde dezembro de 2014. Já foi gasto na obra mais de R$ 1 bilhão, mas um impasse entre o estado e o Consórcio VLT a respeito do valor necessário para finalizar a construção fez com que o contrato fosse suspenso pela Justiça Federal em 2015.

A obra foi licitada por meio do Regime Diferenciado de Contratação, que não permite aditivos, por R$ 1,4 bilhão.

O estado afirma, com base em estudo da consultoria KPGM pelo qual foram pagos R$ 3,8 milhões, que a obra necessita de R$ 600 milhões para ser finalizada. O Consórcio VLT contesta esse montante, e diz que precisa de mais R$ 1,1 bilhão.

Conforme a Secretaria de Estado de Cidades, 70% do VLT estão prontos. Esse percentual, entretanto, considera tanto a implantação em si quanto a aquisição dos equipamentos do metrô de superfície.

Nessa terça-feira (21) o governador Pedro Taques (PSDB) e o secretário estadual de Cidades, Wilson Santos (PSDB), reuniram-se com o presidente Michel Temer (PMDB) em Brasília e pediram para que a União articule uma nova linha de crédito com a CEF de R$ 600 milhões.

“Precisamos de dinheiro da União Federal. E aí o presidente Michel Temer se comprometeu a nos ajudar. Vamos à Caixa Econômica. Existe uma carta consulta na Caixa Econômica a respeito desse restante para que nós possamos dar início a essa obra”, disse Taques.

O secretário Wilson Santos disse que o estado e o consórcio chegaram a um consenso sobre o valor da obra e que isso deve ser formalizado em breve. “O acordo deve ser assinado nos próximos dias. Após a assinatura, vai para a Justiça e aí a Justiça deve abrir prazo para os ministérios públicos Estadual e Federal se manifestarem. Nós temos muita animação de que ainda neste semestre nós retomaremos as obras do VLT em Cuiabá e em Várzea Grande”, disse.

O Consórcio VLT disse, entretanto, que seguem as negociações com o governo para a retomada das obras e que a definição do prazo para a entrega está condicionada aos termos dessas negociações e condições de pagamento ofertadas pelo estado.

Após a retomada da implantação, a previsão é que o VLT possa ficar pronto para a população em dois anos.

VLT
O projeto do VLT prevê dois eixos, totalizando 22 km de extensão. Um deve fazer a ligação entre o Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, à região do CPA, em Cuiabá. O segundo deve ligar o Centro e a região do Coxipó, na capital. O Veículo Leve sobre Trilhos tem 40 composições, cada uma formada por sete vagões, todos já comprados.