Governo aguarda finalização de estudo do VLT para pedir mais recursos federais;...
Fullbanner1

Fullbanner2


Governo aguarda finalização de estudo do VLT para pedir mais recursos federais; R$ 400 mi são necessários

0
Fonte:
SHARE
Foto: Obras do VLT Inacabadas / Internet.

O secretário de Cidades, Eduardo Chiletto, afirmou que o governo do Estado irá aguardar a finalização do estudo que está sendo elaborado pela empresa KPMG para pleitear recursos federais para a continuidade do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos). Ao todo, R$ 400 milhões precisam ser aportados pelo Executivo. O gestor da pasta esteve presente na reunião entre o ministro Gilberto Kassab (PSD) e prefeitos de Mato Grosso, realizado no início do mês na Arena Pantanal, em Cuiabá.

“Temos R$ 400 milhões que precisamos aportar, já que R$ 200 milhões nós temos ainda na Caixa Econômica Federal. O ministro ficou de ver, junto com a sua equipe, a possibilidade deste recurso vir. É o início de um trabalho, vamos marcar uma reunião em Brasília. Porém, isto só vai acontecer depois da KPMG entregar o relatório todo pronto, o que deve acontecer em março. Ai sim vemos a possibilidade com o ministro de como virão estes recursos”, explicou o secretário em entrevista ao site.

O relatório da empresa KPMG deverá definir o futuro do VLT. Até o início de março, o documento será entregue ao governador Pedro Taques (PSDB) e sua equipe. Até agora, o estudo mostrou que a obra física é viável. Mas, ainda falta saber se o preço da passagem e o custo de operação também serão. O Consórcio VLT pedia R$ 1 bilhão a mais, totalizando R$ 2,2 bilhões. Porém, a consultoria mostrou que apenas R$ 600 milhões são de fato, devidos às empresas.

Kassab se disse triste com a paralisação das obras do novo modal. “O VLT é uma das maiores parcerias entre Mato Grosso e o Governo Federal. É triste que esteja parada há tanto tempo. É algo que a população aguarda ansiosamente. Não falta dinheiro, os recursos aparecem sistematicamente na casa dos bilhões, mas também somem muito rápido. Só levam os recursos, os municípios que apresentam bons projetos”, pontuou o ministro.

Por fim, Chiletto ainda ressaltou que a visita do ministro não é apenas para falar sobre VLT: “Iniciamos um processo falando de todas as políticas urbanas na área da Secretaria de Cidades (habitação, saneamento básico e mobilidade urbana). Pelo que levantamos, são mais de 7 mil quilômetros não pavimentados e cerca de 4 mil quilômetros de recuperação asfáltica que precisamos. Esta ‘brincadeira’ toda gera um custo de R$ 5 bilhões que precisa ser alocado de alguma forma para que possamos facilitar a mobilidade de todos os municípios”.

Fonte: OlharDireto

Montreal