Getúlio é apontado por jornalista como o financiador da mentira na campanha...
Fullbanner1


Macropel

Getúlio é apontado por jornalista como o financiador da mentira na campanha de Primavera

Fonte: Da Redação
SHARE
Foto - AtribunaMT

Mesmo sendo o maior responsável pela cidade de Primavera do Leste praticamente ter perdido um ano de seu desenvolvimento administrativo em meio a imbróglios jurídicos que fazia mudar seu gestor toda hora, o ex-prefeito Getúlio Viana (PSB), cassado do cargo pela Justiça Eleitoral que o enquadrou como ficha suja, ainda estaria por trás de um esquema para financiar mentiras contra o candidato Leonardo Bortolin (PMDB), que concorre no próximo domingo (19) com a candidata Carmem Betti (PSC) pelo posto de prefeito da cidade.

Isso porque, embora sua condenação venha por vias judiciais, Viana canalizou sua revolta (psicologia explica) em Bortolin e seu grupo, já que o peemedebista, por ser o presidente da Câmara de Vereadores, foi seu natural sucessor temporário e agora luta para ficar definitivamente na cadeira maior da política local.

No vídeo em que aparece conversando com o jornalista João Paulo Reis de Rezende (fim da matéria), de um site de Primavera do Leste, gravado com a anuência do Ministério Público Estadual (MPE) para comprovar que estava sendo extorquido pelo profissional da comunicação, Léo ouve da própria boca de João, que depois acabou sendo preso, que só para o veículo de comunicação em questão Getúlio teria oferecido um total de R$ 70 mil para que ataques ao candidato adversário ao seu fossem realizados. O NMT já publicou que o ex-chefe de gabinete de Getúlio, Jarbas Mesquita, e a mulher de Viana, Gisele Ferreira, foram os responsáveis por tratar diretamente com o jornalista a publicação de uma matéria sobre possível demissão em massa de servidores, realizada por Bortolin, por estes terem participado de convenção partidária adversária em apoio ao grupo liderado por Viana. Só para a divulgação dessa informação inverídica, o site ganharia R$ 20 mil, segundo relata o próprio João no vídeo.

Com o jornalista preso e o escândalo da indústria da mentira revelado, a campanha extemporânea acabou não sendo tão contaminada como muitos planejaram. Nos últimos dias, porém, após pesquisas darem a vitória de Léo não só quase certa como com boa margem de vantagem, vários ataques pessoais contra o candidato têm ganhado as redes sociais. O chamado “fake news”, aparentemente, é a tática escolhida pelos opositores do peemedebista para desbancarem seu favoritismo. O grande problema da estratégia é justamente ela não ser coerente com o perfil da candidata que concorre com Bortolin e que é apoiada pelos incitadores de lorota. Carmem é evangélica, defensora dos bons costumes e das pessoas mais carentes, no entanto, se aliou politicamente com quem ainda pensa política com base no coronelismo, onde o dinheiro consegue até fazer mentira virar verdade.

 

Montreal