GCCO: Polícia Civil autua agente por corrupção e organização criminosa
Fullbanner1



GCCO: Polícia Civil autua agente por corrupção e organização criminosa

Flagrante foi feito pelo diretor da Penitenciária Central, após denúncia. Agente penitenciário também deverá responder por organização criminosa.

Fonte: Redação com PJC-MT
SHARE
Foto: Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil, por meio dos trabalhos da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), em conjunto com o Grupo de Intervenção Rápida (GIR) da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SEJUDH), realizaram a detenção de um agente penitenciário na manhã de segunda-feira (27).

Com o suspeito R.P.I,  42, foram apreendidos 30 aparelhos celulares que seriam comercializados a reeducandos da unidade prisional.

Agente penitenciário foi preso em flagrante ao tentar entrar com celulares na PCE (Foto: Roberval Barros/Arquivo Pessoal)
Agente penitenciário foi preso em flagrante ao tentar entrar com celulares na PCE (Foto: Roberval Barros/Arquivo Pessoal)

O suspeito já vinha sendo investigado pelo GCCO e por meio de troca de informações com a administração da Penitenciária Central do Estado (PCE) foi possível realizar o flagrante, por volta das 10h.

Ao ser abordado pelos profissionais da unidade prisional que solicitaram a revista pessoal, o agente acabou confessando que estava com os celulares escondidos dentro da “pochete” que carregava consigo.

Foram encontrados 30 celulares, sendo 09 aparelhos sem sistema android (que estavam dentro do armário do servidor) e outros 21 smartphones, além de 21 carregadores, 18 fones de ouvido e 15 cabos USB.

Conduzido ao GCCO, o agente foi autuado em flagrante por corrupção passiva e organização criminosa. Ele será encaminhado para audiência de custódia, ficando à disposição do Judiciário.