Galli replica Bolsonaro e projeta política como “negócio da família”
Fullbanner1



Galli replica Bolsonaro e projeta política como “negócio da família”

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Foto - MidiaNews

O deputado federal, Victório Galli (PSL), está longe de ser unanimidade dentro do seu próprio partido em Mato Grosso, apesar de ser líder dele, além de ter uma série de problemas e obstáculos a vencer dentro da denominação religiosa que o emergiu para a política, imaginando novamente ter nela vários votos para seguir em Brasília. Mas ele, ao que parece, se enxerga muito maior que todo mundo o vê e ousou colocar o filho, Elias Galli (PSL), como candidato a deputado estadual nas eleições 2018. Caso tudo “dê certo” nas pretensões de Victório, sua família vai ter um deputado federal e um estadual eleitos na próxima ceia de natal.

Óbvio que a situação não seria inédita, atualmente existem várias famílias nesta situação privilegiada no Brasil. O senador por Tocantins, Vicentinho Alves (PR), um dos líderes nacionais do seu partido, tem o filho, Vicente Alves de Oliveira Júnior (PR), como deputado federal e colega de Congresso Nacional, ocupando mandato simultâneo ao seu. Mas, dentre todos os exemplos, talvez o mais conhecido atualmente é o da família Bolsonaro, que tem o pai, Jair, e o filho, Eduardo, como membros da Câmara Federal e sendo até vizinhos de gabinete na capital, com o primeiro eleito pelo Rio de Janeiro e o segundo por São Paulo.

Quanto a chamada “herança política”, ela também pode ser entendida como uma realidade bem comum. Vários líderes lançam seus filhos para a carreira pública eletiva quando estão próximos a sair de cena. Em Rondonópolis, por exemplo, Mohamed, da tradicional família Zaher, fez isso com o filho, Ibrahim, na Câmara de Vereadores, e em cada cidade isso se repete. Agora, com todo respeito a Galli, a sua própria reeleição não encontra horizonte firme o bastante para uma manobra como essa. Repetir em Mato Grosso o que Jair Bolsonaro faz no Brasil é, no mínimo, achar que proporcionalmente tem a mesma liderança por aqui e até menino que não vota sabe que não tem.

Já tem gente dentro da Assembleia de Deus preocupada com a sede de Galli e o estrago que a ganância que a busca pelo poder pode fazer com as pilastras espirituais do seu lar. Para muitos, o alerta divino ao irmão está clarividente em Provérbios 15:27a: “O que se dá à cobiça perturba a sua própria casa”.