Galli não está preocupado com projeto de Selma, cada vez mais isolada
Supermoveis



Galli não está preocupado com projeto de Selma, cada vez mais isolada

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Foto - Reprodução/Redes Sociais

O presidente do PSL em Mato Grosso, Victório Galli (PSL), não vem empreendendo esforços e muito menos queimado cartucho para fechar alianças para garantir a vaga de Senado Federal ao seu partido, visando atender o projeto pessoal da juíza aposentada, Selma Arruda. A pessoas mais próximas, Galli já teria admitido que “não há solução” para o impasse, visto que Selma criou um discurso que não se alia a investigados e pessoas com problemas na justiça, reduzindo demais as possibilidade de aliança. A ex-magistrada conseguiu rapidamente criar a antipatia das maiores lideranças do estado e as portas para o PSL estão fechadas em praticamente todos os arcos de aliança. O único que ainda admite tê-la é o governador Pedro Taques (PSDB), mas a vontade do postulante a reeleição é muito isolada, já que aliados do atual deputado federal, Nilson Leitão (PSDB), dentre outras frentes do grupo rejeitam Arruda. A outra hipótese, de compor com o projeto de Wellington Fagundes (PR), replicando uma possível aliança nacional entre PR e PSL, também não agrada o próprio Fagundes, já que teria de abrir mão do PT e PCdoB e de preciosos minutos de televisão. Além disso, existe grande possibilidade de recuo do republicano. Já que para a Câmara Federal o PSL de Mato Grosso trabalha para Galli, restará à juíza buscar a Assembleia Legislativa de Mato Grosso – ALMT.